MTST ocupa a Bolsa de Valores em protesto contra a fome e o desemprego

As pautas do protesto são a fome, a inflação e o desemprego

Por
· 1 min de leitura
Local é considerado símbolo da desigualdade social pelos manifestantes (Foto: MTST)Local é considerado símbolo da desigualdade social pelos manifestantes (Foto: MTST)
Local é considerado símbolo da desigualdade social pelos manifestantes (Foto: MTST)
Você prefere ouvir essa matéria?

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) ocuparam a sede da Bolsa de Valores, em São Paulo, no início da tarde de hoje (23), em um protesto contra a fome, a inflação e o desemprego. De acordo com os organizadores, a escolha pelo local para o ato se deu por considerarem a Bolsa de Valores o "maior símbolo da especulação e da desigualdade social".

Durante o manifesto, os ativistas questionaram o motivo pelo qual o número de milionários dobrou no país no mesmo ano em que a miséria sofreu um expressivo aumento. Eles também expuseram o fato de a bolsa ter batido recordes de ganhos mesmo durante a crise provocada pela pandemia e criticaram a alta no preço dos alimentos. "Os lucros recordes dos bancos, o aumento de grandes fortunas e o surgimento de 42 novos bilionários no mesmo país onde a insegurança alimentar atinge mais de 116 milhões de pessoas e a fome já é uma realidade para mais de 19 milhões precisa acabar", escreveu o MSTS nas redes sociais.

Gostou? Compartilhe