OPINIÃO

Ponto de vista

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Ao exigir punição exemplar aos grevistas que avançaram além dos limites da legalidade, a presidente Dilma Rousseff (PT) alarga ainda mais o índice de aprovação da nação brasileira. Ao se irritar com a conduta de setores do funcionalismo como, por exemplo, a Polícia Rodoviária Federal, a ex. integrante da Vanguarda Armada Revolucionária Palmares, cobrou do ministro José Eduardo Cardoso (PT), da Justiça, a identificação dos servidores.

II
Diferentemente do ex. presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT), seu mentor e principal cabo eleitoral em 2010, a mandatária número um não tem sido condescendente com as greves de servidores públicos federais. A imagem de uma placa instalada na Via Dutra, junto a um posto da Polícia Rodoviária com os dizeres “Passagem livre para traficantes de armas e drogas” provocou a revolta de milhões de contribuintes, e a ira da presidente.

III
A decisão do Ministério do Planejamento de não avançar além dos 15,8% de reajuste, em três parcelas, reflete a posição de Dilma. Outra medida que teve imediato efeito no arrefecimento da greve se deu com a decisão do corte do ponto e o desconto dos dias parados dos mais de onze mil servidores que cruzaram os braços. O pedido de liminar feito pela Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal junto ao STF contra o desconto não surtiu o efeito esperado.

IV
Enquanto o ex. presidente da república se dedica de corpo e alma na eleição dos prefeitos dos maiores municípios do país, sua sucessora concentra todos os esforços na gestão do governo. Ela já avisou que não vai subir em palanque e muito menos pedir votos a correligionários. As peças estão distribuídas no tabuleiro e pelo visto já é sabido quem vai dar o xeque-mate. O chamado fogo amigo não surtiu o efeito esperado e será preciso muito mais do que uma greve para que Dilma Rousseff não seja candidata à reeleição daqui a dois anos.
 
Curtas:
# Com o início da propaganda eleitoral de rádio na terça-feira (21), a campanha finalmente chegou às ruas de Getúlio Vargas.

# Além do esmero na elaboração dos programas radiofônicos, os materiais impressos e jingles, produzidos por profissionais do ramo, melhoraram significativamente em relação à de 2008.

# A decisão do pleno TRE/RS, que na sessão de segunda-feira (20) acatou o pedido de indeferimento da candidatura de Dino Giaretta (PT) a prefeito de Getúlio Vargas, repercutiu no Alto Uruguai.

# A advogada Maritania Lucia Dallagnoll, que representa o ex. prefeito e que agora busca um terceiro mandato, vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral.

# Nota distribuída a imprensa pela coordenação de campanha dá conta que a decisão partiu de uma argumentação equivocada de que o TCE/RS teria reprovado as contas do então prefeito Dino Giaretta (PT).

# Porém, segundo a nota, as contas foram devidamente aprovadas pelo TCE e reprovadas na Câmara Municipal de Vereadores onde a bancada de oposição era maioria.

# O Tribunal Regional Eleitoral do RS recebeu 503 recursos e até à tarde de quarta-feira (22) os magistrados já haviam analisado 279 deles.

# Na sessão do legislativo instalado no prédio histórico localizado na esquina da Av. Borges/Leão, foi aprovado por unanimidade. no último dia 16, um projeto de autoria do vereador Dinarte Farias (PP).

# O referido Projeto de Lei Legislativo nº 006/2012 institui o programa “Internet para Todos” no município de Getúlio Vargas.

Dito & Feito:  
Empresário e presidente da Getúlio Vargas Empreendimentos Turísticos S.A., Arlei Karpinski participou da 31ª Expoagas realizada entre terça (21) e quinta-feira (23) no Centro de Eventos da Fiergs, em Porto Alegre. Representante da Agas para a região de Getúlio Vargas, Arlei aproveitou para reforçar entre os colegas supermercadistas gaúchos o projeto que objetiva implantar uma cervejaria em Getúlio Vargas, investimento orçado em R$ 60 milhões.

Gostou? Compartilhe