OPINIÃO

Fatos 23/10/2012

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Secretariado
O prefeito eleito Luciano Azevedo falou ontem a um grupo reservado de empresários ligados a Acisa e outras entidades de classe. Foi durante uma reunião almoço e a fala de Luciano não durou mais do que 20 minutos. Ele foi objetivo e reforçou o perfil técnico que pretende dar ao secretariado. Garantiu que não vai buscar na lista de filiados do seu partido, o PPS, os nomes para ocupar cargos. “Poderá, ao final da montagem do secretariado, a composição do governo não ser coerente com o político, porque ao contrário do que normalmente ocorre, o partido do prefeito não terá o maior número ou os melhores cargos”, disse.

Nomes
Os dois nomes anunciados ontem, por exemplo, o do professor José Ernani para a Sedec, e o do empresário Daniel Lé para a Funzuctur, são exemplos desta regra. Os dois não tem filiação partidária alguma, mas são altamente qualificados para as funções convidadas. Tanto José Ernani quanto Daniel Lé dispensam apresentações no que se refere as funções que exercem.

Surpresa
Esta linha adotada por Luciano tem surpreendido positivamente até mesmo quem não apostava no seu governo. Desde o primeiro nome anunciado, Gilberto Bedin para a Finanças, até os que foram divulgados ontem representam uma das maiores promessas de campanha: renovação e qualidade técnica.

Promessas
Por falar em promessas, Luciano informou aos empresários ontem que está editando um material com todos os programas de TV do horário eleitoral gratuito e que distribuirá cópias aos futuros secretários e cargos de confiança para que não esqueçam dos compromissos assumidos na campanha.   

Mulher
Se o convite for aceito, o prefeito eleito Luciano Azevedo, deve anunciar nesta terça-feira o nome de uma mulher para a Secretaria da Administração. Será a primeira representante feminina na futura administração. Outros espaços serão ocupados por mulheres.

Transição
Equipe que vai comandar a transição pela futura administração está composta do vice Juliano Roso, do secretário de Finanças Gilberto Bedin, pelo Procurador Adolfo Freitas, pelo chefe de gabinete João Bordin e pelo advogado Emerson Broto.

Gostou? Compartilhe