OPINIÃO

Fatos 08/11/2012

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Calendário I

Passo Fundo tem se destacado pelos inúmeros eventos em diversos segmentos e tem utilizado, sabiamente, desta diversidade para desenvolver o turismo. O resultado são hotéis cheios, restaurantes e comércio movimentados. No entanto, ninguém está pensando em um calendário que possa organizar melhor as datas de realização destes eventos. O que acaba ocorrendo é a coincidência de muitos eventos na mesma data, na mesma semana ou muito próximos um do outro. Esta semana, por exemplo, teremos duas grandes feiras: a Expoacisa e a Fresol exatamente no mesmo final de semana.  Recentemente tivemos uma competição hípica de reconhecimento internacional seguida da Agrotecnoleite e da Construmóveis.

Calendário II

Pois a direção da Acisa já se deu conta desta situação e começa a se mobilizar para encaminhar sugestão ao futuro Conselho de Desenvolvimento de Passo Fundo (Conselhão) que será criado pela futura administração. O objetivo é propor uma discussão para que o calendário do município não seja meramente informativo. Um ano antes, as entidades envolvidas nos mais variados eventos da cidade podem se reunir para definir um calendário harmônico que possibilite a realização de todas as promoções sem coincidências que possam esvaziar uma atividade ou outra.

Saúde

O prefeito eleito Luciano Azevedo pretende concluir a composição do governo até a próxima semana, como propôs inicialmente. Tem encontrado pela frente algumas dificuldades naturais. A definição do nome para a área da saúde é uma delas. Difícil encontrar um profissional do mercado que se disponibilize a deixar sua atividade privada para se dedicar ao serviço público. Uma das alternativas em exame é a do médico especialista em saúde da família, Luiz Artur Rosa Filho. Ele veio de Ijui e já atuou nos ESFs do Záchia e Nossa Senhora Aparecida. Atualmente está no Jaboticabal e é um profissional respeitadíssimo pelas comunidades por onde passou.

Comprovado

A coluna relatou em diversas ocasiões durante a campanha eleitoral, que os candidatos a prefeito, em especial, estavam com dificuldades de captar recursos. Na prestação de contas feita à Justiça Eleitoral ficou comprovada a análise: nenhum atingiu o teto registrado.

Gostou? Compartilhe