Cruz da juventude chega a Passo Fundo

Símbolos da Jornada Mundial da Juventude, que acontece em 2013, chegam à cidade e movimentam os jovens

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Uma cruz, um ícone de Maria e 1.200 jovens. O Seminário Nossa Senhora Aparecida, durante todo o dia de domingo, ficou lotado de jovens que, a todo momento, demonstravam a alegria de estarem reunidos em torno de uma proposta da Igreja Católica. O Bote Fé em Passo Fundo reuniu milhares de jovens em busca de preparação para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) que acontece no Brasil, ano que vem.

Foi em 1983 que João Paulo II propôs ao jovem: “Ide e anunciai a mensagem da cruz”. Essa cruz, de 3,8 metros, acompanha a juventude católica desde então. A cada Jornada, a cruz passa pelo país que recebe o evento e movimenta os jovens. Responsáveis por fazer um histórico da Jornada, desde o seu início, a rede Marista as viagens dessa cruz desde a sua primeira parada, pela própria Itália. No Brasil desde setembro de 2011, a cruz está passando por todas as regionais da CNBB e, em solo gaúcho faz sua peregrinação desde o início de novembro. São dois dias na Arquidiocese de Passo Fundo e estima-se que 1.500 jovens possam chegar perto da cruz e reavivar a fé que acreditam.

A programação do dia iniciou pela manhã e, apesar de cedo, o sono não impediu que os jovens demonstrassem a alegria de receber o ícone da JMJ. A chegada, de fato, aconteceu por volta das 17h e a programação que antecedeu esse horário preparou o jovem para a celebração do fim da tarde. O cronograma de atividades envolveu música, teatro e momentos de oração. A realidade da juventude foi exposta. Em analogia à crucificação de Cristo, palavras como álcool, prostituição e bullying foram pregadas em uma cruz. A atividade simbolizou as dificuldades para a vivência plena de uma juventude saudável. O Curso de Liderança Juvenil (CLJ) através de encenações também relatou a luta do jovem contra as adversidades apresentadas no dia a dia.

Além de reflexão acerca do cotidiano jovem, o Bote Fé abriu espaço para que o talento de cada jovem pudesse ser contemplado. Diferentes grupos, de todos os movimentos da juventude da Arquidiocese, puderam fazer apresentações musicais ou coreografias que fizessem alusão ao ideal proposto pela Jornada. Também, durante todo o dia foram sorteadas camisetas e o chamado Youcat, catecismo jovem. Para os jovens, o dia foi de entrega e compromisso com objetivos traçados pela crença. Jéssica Rosset Ferreira, de 20 anos, faz parte de um grupo de jovens há 8 anos. Pra ela, o Bote Fé foi decisivo para mostrar uma face jovem que a sociedade não conhece: “é importante para reunir os jovens e mostrar que não estamos sozinhos, para mostrar que existem muitas pessoas unidas pelo mesmo ideal e também serve para mostrar a sociedade que o jovem não é banalizado como as pessoas veem. Existem muitos jovens que lutam por um futuro melhor que o presente”, comenta.

O arcebispo de Passo Fundo, D. Antônio Altieri, ao falar aos jovens depositou sua confiança na juventude e a destacou como uma prioridade da Arquidiocese: “Eu acredito em vocês não porque são o futuro, mas porque representam o hoje. Aquele que se acomoda e não se arrisca, envelhece. A juventude é uma atitude de coração”, declarou. Aplaudido pela juventude, D. Altieri faz parte do grupo que mantém a juventude no coração, aquém da idade e, ainda, que a desafia a aceitar a missão de transformar a realidade e fazer parte de um futuro.

O encontro teve seu ápice com a chegada da cruz, no fim da tarde. Os jovens, após um dia de preparação, receberam os símbolos de sua fé. Para cada um deles, a cruz representa mais que 31 quilos de madeira; representa, sim, uma oportunidade de fazer a diferença através de um ideal. Do Seminário, os jovens foram em procissão até a Catedral Nossa Senhora Aparecida e, lá, a noite foi de vigília. Hoje, a cruz irá visitar as escolas e, também, irá passar pelo presídio da cidade e pelo CASE.

Gostou? Compartilhe