Trabalho desenvolvido, conteúdo aprendido

ON nas Escolas: Professores envolvidos no projeto ON nas Escolas contam como está o andamento dos trabalhos com o jornal em suas turmas

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Falta pouco para terminar o ano, mas as ideias continuam surgindo. É assim que tem sido com o projeto ON nas Escolas, que em março deste ano deu início a um novo projeto de participação dos alunos, onde eles são desafiados a entender como se faz um jornal e a escrever seus próprios textos. Mas tudo isso somente acontece porque o projeto conta com professores comprometidos, que realmente fazem acontecer. E também com alunos que entenderam o propósito do projeto.

Por todos estes fatores, o ON nas Escolas é certamente um sucesso, uma vez que todos estão cumprindo suas tarefas e possibilitando que o projeto realmente aconteça. Então, para saber como andam os trabalhos em sala de aula, os professores participantes foram questionados. As respostas sobre como anda o ON nas Escolas em cada turma, você confere a partir de hoje e nas próximas duas quartas-feiras.

Escola Municipal de Ensino Fundamental Arlindo Luiz Osório

As turmas da Escola Municipal de Ensino Fundamental Arlindo Luiz Osório estão desenvolvendo os trabalhos do projeto ON nas Escolas com as professoras Tânia Chamberlain e Dinorá Silva da Rosa. Para a professora Tânia, a parceria com o jornal é um dos pontos mais importantes. “ON é um jornal que oferece abertura e oportunidade para as escolas, com treinamentos e até entrega de material didático”, comenta.

Sobre o desenvolvimento do projeto nas turmas, a professora conta que foram trabalhados a entrevista com os alunos das sétimas séries, “onde os alunos entrevistaram pessoas do seu convívio pessoal, sobre suas profissões. Estes explicaram sobre sua escolha profissional bem como a sua jornada de trabalho nas firmas onde trabalham. Já na oitava séria produziu-se textos de reportagem, abrangendo vários assuntos escolhido pelos alunos”, explica.

Para a realização dessas tarefas, primeiro foi feita uma pesquisa na internet onde foram delimitados os aspectos principais de cada tema. “Depois, entrevistaram pessoas da comunidade e de seu convívio pessoal (mínimo dez pessoas) para colocar dados estatísticos sobre os assuntos. Os alunos também poderiam montar uma notícia sobre o tema e tirar fotos para colocar na reportagem”, conta Tânia.

De acordo com ela, nas duas séries foram trabalhados anúncios publicitários, “textos visando a proteção ambiental, interpretando anúncios observando suas partes e as intenções do anunciante”, salienta.

Com todas essas atividades desenvolvidas, a professora aprovou o trabalho realizado através do projeto. “Para mim, é Dez, pois valeu a pena. A escola conheceu um pouco mais sobre o funcionamento desse jornal, que é de importância primordial para nossa região, bem como o trabalho com reportagens, notícias, anúncios, entre outros”, destaca.

Incentivo à leitura

A professora Dinorá, por sua vez, gostou do trabalho especialmente pelo incentivo à leitura. “Optei pelo ON, porque este apresentou uma proposta de incentivo a leitura, provocando a capacidade leitora nos educandos em seu ambiente escolar, proporcionando a eles o conhecimento sobre os diferentes textos jornalísticos a serem trabalhados nas aulas de Projeto de Leitura, bem como o acompanhamento no desenvolvimento das atividades na escola”, comenta.

Conforme a professora, “a partir das apresentações da proposta de trabalho pela jornalista Glenda, possibilitou-nos a identificação dos diferentes textos jornalísticos. O s alunos selecionaram as pautas de seu interesse e construíram textos opinando sobre o assunto e expondo oralmente aos colegas. Os textos mais explorados nas turmas da sétima série foram os da página de esportes. Estamos em fase de construção de um artigo com temas escolhidos pelos alunos”, conta Dinorá.

Para ela, o trabalho atendeu as expectativas. “Está sendo uma excelente oportunidade trabalhar com o apoio do jornal ON, pois é um incentivo aos alunos para que leiam e escrevam mais. As visitas a redação do jornal foram valiosas, pois possibilitou o conhecimento de todas as fases, desde a construção até a impressão de um jornal”, ressalta.

Gostou? Compartilhe