OPINIÃO

A magia do Natal e trivialidade do Ano Novo

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

O Natal é uma das datas mais importantes para a maioria das pessoas. Mas você já imaginou poder viver o Natal em outro país e conhecer uma cultura totalmente diferente da sua?

Este é o segundo Natal que eu passo aqui na Irlanda, mas nem por isso deixou de ser lindo e emocionante. Pra quem não sabe, eu vivo com uma família linda e que é meu porto seguro por aqui. Somos cinco pessoas, a mãe (polonesa), o pai (inglês), duas crianças e eu.  

No início de dezembro é hora de montar a árvore de Natal e decorar a casa. A árvore é escolhida diretamente numa fazenda, ou seja, ela é natural. No momento de decorar, toda família se reúne e todos participam juntinhos em um momento bem família.

Por ser uma família com nacionalidades diferentes, o Natal fica ainda mais mágico. No dia 24 de dezembro seguimos as tradições polonesas e no dia 25 a comemoração é inglesa. 

Como na maioria dos países da Europa Central, o Natal na Polônia é um acontecimento adorado por todos, porém, mesmo que as tradições germânicas tenham se disseminado, os costumes poloneses continuam sendo encantadores e únicos.

Para a maioria dos poloneses, a “comemoração natalina” acontece mesmo no dia 24 de dezembro e o dia é inteiramente dedicado à família e é exatamente isso que fez nosso dia muito especial.

Sim, eu sei que você deve estar se perguntando: “Tá, mas o quê que fizeram de tão diferente assim?” Primeiro que na véspera de Natal não se consume carne, com exceção de peixe. Todas as refeições foram à base de peixe e pratos vegetarianos e, diferente das famílias irlandesas, os poloneses costumam fazer ceia de natal, assim como nós, no Brasil. Porém, algumas tradições são seguidas, como:

  • Esperar até que a primeira estrela apareça no céu para servir o jantar: esta tradição celebra a Estrela de Belém, que guiou os Reis Magos ao local do nascimento do menino Jesus. Claro que, pra nós, que moramos na Irlanda, isso não funcionou muito bem, já que a noite estava bem nublada;
  • Compartilhar um Op?,atek: é um wafer igualzinho a hóstia sagrada. Cada pessoa presente na mesa deve quebrar um pedacinho e, em voz alta, desejar a cada pessoa algo bom para o próximo ano (me desejaram um namorado – risos). A tradição está ligada à partilha do pão da Última Ceia;
  • Colocar um prato extra na mesa caso alguém que esteja passando por dificuldades apareça e peça por abrigo;
  • Preparar 12 pratos, um para cada mês do ano. E você precisa provar todos eles para garantir boa sorte nos próximos 12 meses. A maioria dos pratos são preparados com cogumelos e repolho. A sobremesa fica por conta de um bolo de semente de papoula (eu, particularmente, não gosto).

Depois da ceia, é hora de esperar pelo Bom Velhinho. As crianças preparam um prato com biscoitos e leite para o Papai Noel e um com cenouras para as renas e todos da casa vestem pijamas natalinos. No dia de Natal, seguimos a tradição inglesa, regada com muita comida e bebida.

Pra mim, a parte mais linda disso tudo é que, mesmo que a família tenha saído dos seus países , eles continuam vivendo as tradições e repassando para as crianças. Um exemplo que muitos esquecem.

Mas, se o Natal é encantador, não espere muito do Ano Novo. Se você é daquelas pessoas que gostam de grandes comemorações, a Irlanda pode não ser o destino perfeito pra você.

A queima de fogos de artifícios é bem restrita e você pode sofrer sérias penalizações caso resolva se aventurar e soltar um. Os pubs ficam cheios e, por aqui, não existe a tradição de vestir branco. Cada um usa a cor que quiser, sem precisar se preocupar se é preto, afinal, eles não acreditam que a cor vá interferir no seu próximo ano.

Entre a animação e festividades do Natal e a calmaria do Ano Novo, de uma coisa você pode ter certeza, cada momento vivido aqui é inesquecível.

Gostou? Compartilhe