Situação financeira de instituições será tema de debate

Em reunião marcada para sábado (26), profissionais do setor vão explicar as condições de atuação e perspectivas para 2019 em relação aos hospitais de Passo Fundo

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A crise financeira que assola as instituições da saúde será pauta de reunião promovida pelo Conselho Municipal de Saúde e pela União das Associações de Moradores de Passo Fundo (Uampaf), neste sábado (26). A discussão está marcada para começar às 14h, no auditório da faculdade Anhanguera, no evento de lançamento da Conferência Municipal de Saúde. 

 

O objetivo do encontro, que reunirá presidentes de associações de bairros e profissionais ligados à área da saúde, é explicar as condições de trabalho e as perspectivas para 2019 dos hospitais diante dos atrasos nos repasses de verba do Estado e também da defasagem nas tabelas do SUS. O presidente do Conselho Municipal de Saúde, Neri Gomes, enfatiza que a situação se agrava com a PEC 241, que estabeleceu um teto para os gastos públicos e congelou, por 20 anos, as despesas do Governo Federal. Com essa medida, aprovada no governo de Michel Temer, o Rio Grande do Sul deixa de receber, no orçamento de 2019, R$ 1,5 bi em recursos para a saúde, conforme Gomes.


As dificuldades dos hospitais de Passo Fundo não são novidades. Em entrevistas recentes, os gestores das duas principais instituições da cidade já cogitaram a redução no número de atendimentos e cirurgias eletivas pelo SUS. Conforme Gomes, o efetivo de funcionários já foi reduzido em alguns locais e existe a possibilidade do Hospital São Vicente de Paulo (HVSP) reduzir entre 80 e 100 internações por mês.


Além de abordar o cenário, na reunião de sábado também será divulgado o calendário das pré-conferências, que consistem em reuniões com a comunidade. Nesses encontros, os presidentes das associações irão expor a situação da saúde no município e ouvir, da população, sugestões sobre o que pode melhorar no atendimento. As pré-conferências foram divididas em cinco reuniões, que serão realizadas nos CAIS.


Na conferência, marcada para os dias 29 e 30 de março, essas demandas serão apresentadas ao Poder Público do Município. O objetivo é reorganizar a agenda de atuação da Secretaria de Saúde a partir do cenário de dificuldade financeira.
O trabalho da conferência conta, pela primeira vez, com a parceria da Uampaf. O presidente da União, LuisValendorf, explica que faz parte do trabalho da entidade estar presente e acompanhar os problemas que afetam a comunidade.

 

Gostou? Compartilhe