OPINIÃO

Fatos 08.02.2019

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Sim, isso é democracia!
Criticar e responder a crítica faz parte da democracia. O que não faz parte é tentar impedir que outro se manifeste. Ele tem o direito de não querer se manifestar, mas se quiser, é livre para fazê-lo. O episódio envolvendo troca de farpas entre o vereador Márcio Patussi, PDT, e o prefeito Luciano Azevedo, não tem nada de antidemocrático. Nem de parte do vereador que fez uma crítica. Muito menos de parte do prefeito que reagiu. O pano de fundo é a campanha pré-eleitoral. Patussi é pré-candidato a prefeito pelo PDT e Luciano, mesmo sem o compromisso de uma candidatura (porque não pode mais), se sente na obrigação de defender o seu governo. Só não podemos repetir no âmbito local a fotografia da eleição presidencial, quando as redes sociais transformaram a campanha em pandemônio.

 

Números
Mas a troca de farpas rendeu envolvimentos. Na página do Facebook do vereador Patussi, (até o fechamento da coluna) 17 compartilhamentos e 59 comentários. Na página do prefeito Luciano, 81 compartilhamentos e 193 comentários. Manifestações contrárias e favoráveis de todos os tipos. Algumas bem construídas, ponderadas e outras baixando o nível como é próprio das redes sociais.

 

A título de colaboração
O recurso orçamentário da saúde é determinado pela Constituição Federal e ele deve ser aplicado exclusivamente na área. O índice é de 15% sobre o orçamento de cada município. Os gastos dos Poderes Públicos (Executivo, Legislativo e Judiciário) podem ser acompanhados por qualquer cidadão nos portais transparência. Portanto, nenhum valor revelado nas postagens é segredo ou deve ficar escondido. Eles estão lá nos portais dos respectivos Poderes. O cidadão pode e deve acompanhar.

 

Rápidas
* Saúde: Presidente Jair Bolsonaro voltou a ter febre ontem e teve diagnóstico de pneumonia.
* Destempero: ‘Eu estou solto e Lula está preso, babaca’, diz Ciro em ato da UNE.
* Números oficiais: Já são 157 o número de mortos em Brumadinho; 182 seguem desaparecidos.

Gostou? Compartilhe