Venda de pescados deve aumentar 30% em Passo Fundo

Dentre os tipos de peixes mais procurados pelos consumidores estão o filé de tilápia e o tradicional bacalhau

Por
· 3 min de leitura
Consumidores gastam em média R$70 nos pescadosConsumidores gastam em média R$70 nos pescados
Consumidores gastam em média R$70 nos pescados
Você prefere ouvir essa matéria?

Além da tradicional procura por chocolates, outro item ganha evidência nos carrinhos de compras dos consumidores às vésperas da Páscoa, é o pescado. A expectativa em uma das peixarias da cidade é que as vendas nesse período cresçam pelo menos 30% em relação ao mesmo período do ano passado. Dentre os pescados mais consumidos nessa época está a tilápia, anjo, bacalhau e o filé de salmão fresco. “O pessoal costuma pegar bastante. Dá para perceber que se reúnem em família e eles gostam de fazer uma ceia”, afirma a comerciante, Nathália Mattos.

 

Em relação às outras datas do ano, o crescimento no feriado que antecede a Páscoa, chega a 300% nesta peixaria que vende cerca de 30 tipos de filé de peixe e 20 tipos de peixes inteiros. O conselho é para que os consumidores não deixem as compras para a última hora.“Chega na quinta-feira e o pessoal lembra que no outro dia é dia de comer peixe. A gente preza muito para que as pessoas antecipem suas compras, para não enfrentar filas e poder escolher o produto que quiser com mais tranquilidade”, acrescenta a proprietária.

 

Em outra peixaria do município, a expectativa também é positiva. O proprietário Nilson Lima prevê um crescimento de venda de pelo menos 20% a mais do que o ano passado. Segundo ele, os consumidores gastam em média R$70 na compra de pescados. “Todo ano sempre tem um filé de peixe que está em alta, neste ano a procura deve ser maior pelo filé de tilápia”, ressalta. Em relação ao preço, o proprietário esclarece que devido a inflação, os comerciantes aumentaram cerca de 5% nos produtos deste ano.

 

O estabelecimento de Lima deve vender 10 toneladas de peixes no período, dentre os mais de 10 tipos de filés de peixe e 10 tipos de peixes inteiros. O movimento, que ainda é pequeno neste início da semana, deve se intensificar nos próximos dias. “Todo ano a gente sempre trabalha até a sexta-feira de meio-dia, e sempre tem movimento até esse horário. O pessoal pode ligar e reservar, mas para o consumidor quanto antes ele pegar o peixe melhor, porque no final acabam ficando mais os pequenos, e principalmente os filés mais procurados vão faltando”, aconselha Lima.


Atenção aos pescados
A Vigilância em Saúde relembra aos consumidores que redobrem a atenção para a procedência e conservação dos pescados. Peixe é um alimento saudável, mas muito sensível, razão para cuidados na hora da compra. “Peixe adulterado ou deteriorado não engana. O cheiro é diferente, ruim, aí a pessoa não vai consumir”, explica Ayres Chaves Lopes, chefe do Setor de Alimentos do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs).

 

Se o cheiro denuncia, melhor seguir algumas orientações para não estragar o almoço da Sexta-Feira Santa. Primeiro, atenção para a procedência. Mercadoria clandestina, sem procedência, é sinal de perigo. Outra dica importante é não comprar o produto e sair a passear. “O cidadão compra peixe no mercado, aproveita para passear, conversar com amigos, com o produto embaixo do braço. Quando chega em casa, já está deteriorado”, explica.

 

Também é preciso cuidar muito bem da temperatura, em função da fácil deterioração. Segundo a nutricionista Josete Baialardi Silveira, o ideal é comprar e colocar no gelo para manter a temperatura. Sua conservação deve estar a 2°C, com tolerância até 4°C. Quando expostos em balcões, devem ser cobertos com espessas camadas de gelo. Congelados devem estar a -18°C, com tolerância de -12°C. Peixe pronto para consumir deve ter sido assado em temperatura acima de 60°C. “É muito importante manter todo o tempo nesta temperatura.” Mantido resfriado, congelado ou pronto para consumo: acima de 60°C.

 

Atenção para o descongelamento, que deve ser feito no refrigerador. Não em água corrente ou temperatura ambiente. “As sobras devem ser guardadas imediatamente em refrigeração após a refeição. Quando reaquecer, tem de ser acima de 70°C”, orienta Josete. E acrescenta que o bacalhau, um dos pescados mais consumidos na época, deve ser dessalgado a uma temperatura menor que 5°C. O descongelamento também pode ser feito em micro-ondas, mas para consumo imediato: “descongelou, preparou, comeu”, avisa a nutricionista.


Cuidados ao comprar
Nos peixes, observe a musculatura resistente e aberturas naturais bem vedadas. A pele deve apresentar coloração variada e brilhante, as escamas devem ser brilhantes e estarem bem aderidas, com as guelras úmidas e intactas. Os olhos devem ser brilhantes e vivos. O odor é peculiar.

 

Nos crustáceos atente para o aspecto geral brilhante e úmido. O corpo deve estar com a curvatura natural, rígida. Carapaça própria e sem pigmentação estranha, olhos vivos e cheiro próprio suave

Gostou? Compartilhe