Gesp denuncia desmatamento no Roselândia ao MP

Entidade e órgãos fiscalizadores estiveram no local na tarde de terça (16) e constataram mais de 100 metros contínuos de área desmatada

Por
· 1 min de leitura
Dezenas de árvores de médio e grande porte foram derrubadas.Dezenas de árvores de médio e grande porte foram derrubadas.
Dezenas de árvores de médio e grande porte foram derrubadas.
Você prefere ouvir essa matéria?

O Grupo Ecológico Sentinela dos Pampas (Gesp) protocolou, na manhã de ontem (17), um pedido para que o Ministério Público (MP-RS) investigue um caso de desmatamento, com o corte de centenas de árvores nativas de médio e grande porte, registrado no Parque da Roselândia. A partir de denúncia recebida, a entidade foi ao local, na tarde de terça-feira (16), acompanhada do Batalhão Ambiental da Brigada Militar e da Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam). Os órgãos fiscalizadores realizaram levantamento e vistorias no local, com identificação do proprietário e do dano ambiental em questão.

 

Conforme o presidente do Gesp, Paulo Fernando Cornelio, que acompanhou a ação, o desmatamento ocorreu em uma extensão de mais de 100 metros contínuos, na Avenida Araucária, nas proximidades da Sede Campestre do Clube Recreativo Juvenil, e com uma largura variável de aproximadamente três a dez metros. “As árvores abatidas são de espécies vegetais nativas representantes do Bioma da Mata Atlântida, portanto, representações vegetais de grande importância ambiental para os ecossistemas da nossa região”, afirmou.

 

Em casos como este, de acordo com Cornelio, o proprietário do terreno e os responsáveis pelo desmatamento, caso sejam identificados, respondem e estão sujeitos à multa e a recuperar a área.

 

A Companhia de Policiamento Ambiental da Brigada Militar e a Fundação Estadual de Proteção Ambiental/FEPAM já realizaram vistorias e relatório dos danos ambientais ocorridos. 

Gostou? Compartilhe