Estímulo à adoção tardia

Ministério Público e Poder Judiciário promovem reunião na noite desta quarta-feira com o objetivo de incitar a reflexão acerca do perfil buscado por pessoas interessadas em adotar crianças de Passo Fundo e região

Por
· 2 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

De acordo com a Assistência Social da Vara da Infância e Juventude, hoje, onze crianças e adolescentes com mais de seis anos de idade aguardam por um lar em Passo Fundo. Em um município onde 104 pretendentes estão habilitados como adotantes pelo Cadastro Nacional de Adoção (CNA), os dados parecem não bater. Isto porque, embora o número de jovens aptos para adoção seja bem menor que o número de pessoas habilitadas, poucos demonstram interesse em adotar jovens nessa faixa-etária. Para lutar contra o índice, o Ministério Público e o Poder Judiciário realizam uma reunião nesta quarta-feira (24), às 19h, no Salão do Júri do Fórum de Passo Fundo.

 

A ação visa divulgar e informar os habilitados no CNA a respeito do “Dia do Encontro”, evento que integra uma série de ações promovidas em todo o território gaúcho pela Corregedoria-Geral de Justiça, com o objetivo de estimular a adoção tardia – termo utilizado para definir a adoção de crianças com mais de seis anos. A ação acontece a nível estadual no dia 25 de maio. No encontro, serão realizadas atividades lúdicas para promover a diversão e aproximação entre crianças aptas para adoção e interessados em adotá-las. A ideia é, a partir da interação, estimular novas adoções e flexibilizar o perfil desejado pelos habilitados. Conforme informações da Coordenadoria da Infância e Juventude do RS, crianças e adolescentes com mais de seis anos, grupos de irmãos e jovens com deficiência correspondem a 88% dos aptos a adoção no RS.


Na reunião que acontece nessa quarta-feira, a Promotora de Justiça Clarissa Simões explica que os cadastrados no CNA receberão informações sobre o Dia do Encontro e a importância da data como uma oportunidade para socializar com as crianças fora do espaço de acolhimento institucional. Além dos pretendentes de Passo Fundo, devem participar da atividade 55 vindos de Erechim, 27 de Carazinho, 25 de Lagoa Vermelha e cerca de 30 de Soledade. A promotora salienta ainda que o Dia do Encontro é fundamental para despertar a reflexão dos habilitados. “Esperamos que esse contato estimule eles a reverem o perfil que estão buscando, porque o que acontece é que a imensa maioria tem interesse em adotar somente crianças recém-nascidas ou de faixa-etária muito reduzida, mas a maioria das aptas tem idade mais avançada. Então, enquanto os bebês não precisam aguardar muito tempo pela adoção, as crianças de mais idade acabam ficando acolhidas até alcançarem a maioridade. Elas não podem voltar às suas famílias porque já foram destituídas e, ao mesmo tempo, não encontram pessoas interessadas em adotá-las”, comenta.

 

Estão cadastradas para participar do Dia do Encontro nove jovens de Passo Fundo, dois de Carazinho, dois de Soledade, três de Erechim e cinco de Lagoa Vermelha. A assistente social judiciária do município Adriane Pereira Leite explica que o número não representa o total de crianças e adolescentes aptos para adoção nestes municípios porque a participação no projeto é opcional. “Todas as crianças e adolescentes são convidadas para o projeto, mas participam somente aquelas que manifestarem interesse”.

Gostou? Compartilhe