União que transcende a vida

Idosos que viviam juntos há mais de 50 anos morreram com cinco minutos de diferença, na manhã de segunda-feira (10), em Passo Fundo

Por
· 1 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

Os votos de casamento, de permanecer juntos até que a morte os separasse, foram transcendidos por um casal de idosos de Passo Fundo. Juntos há mais de 50 anos, Delvino e Maria Soleni Zanco faleceram com cinco minutos de diferença, na manhã de segunda-feira (10), no Hospital São Vicente de Paulo (HSVP). O primeiro a partir foi Delvino, aos 74 anos, às 9h25, após uma parada cardíaca. Ele havia sido diagnosticado com leucemia há cerca de um mês. Às 9h30, Maria, de 72 anos, morreu após complicações de pneumonia. 

 

O quadro dela era mais delicado, em virtude do histórico de três derrames cerebrais (AVC). “Em 2011, quando ela adoeceu, o vô cuidava de tudo. Além de toda família, que sempre cuidou deles, ele cuidava da vó. Fazia comida, trocava as fraldas, enfim, fazia tudo”. Quando ele adoeceu também, os dois foram morar com a filha mais nova, Silvia, mãe de Chaiane. Neste período, Maria estava mais dependente e era alimentanda por sonda. Há cerca de um mês, ambos foram internados no HSVP.


Desde que os dois se conheceram, nunca mais se separaram. Segundo a neta Chaiane Zanco Pereira, de 24 anos, eles se conheceram em festas de igreja. Delvino era uma pessoa muito engraçada e costumava contar muitas histórias. Maria gostava muito de dançar. Não teve jeito, ficaram juntos. “O vô costumava dizer que roubou a vó de casa”, conta a neta, em relação ao início da relação. Após o casamento, eles foram morar no Bairro Planaltina, onde constituíram família.


Segundo Chaiane, a história dos dois foi construída por muita união e afeto, já que as brigas eram raras e nunca cogitaram ficar longe um do outro. “Tinham um laço muito forte. Eles não sabiam viver um sem o outro. E nem queriam. É amor além da vida”, resume a neta.


Momento da partida
Eles estavam em quartos separados em virtude dos quadros delicados de saúde. Silvia, a filha mais nova do casal, estava no hospital quando os dois faleceram, conforme Chaiane.


A caçula acompanhava a mãe quando foi informada de que o pai estava com complicações cardíacas. “Ela pediu a enfermeira cuidar da vó porque o vô estava morrendo”. Silvia foi então ao quarto do pai, e se despediu. “Quando estava voltando ao quarto da mãe, para avisar do que havia ocorrido, encontrou com a enfermeira no corredor, dizendo que ela havia falecido também”, conta a neta.


Eles deixam três filhos, quatro netos e dois bisnetos. Após a partida, conforme a Chaiane, eles deixam para os familiares o ensinamento do que realmente significa o amor.

Gostou? Compartilhe