SAMU deve começar a operar em nova sede na próxima semana

Expectativa é de que a nova localização oportunize maior agilidade nos atendimentos

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

O Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) contará, a partir da próxima semana, com uma nova sede, desta vez localizada na Rua Lava Pés, no Centro de Passo Fundo. A mudança acontece depois que as obras de reforma e ampliação do Hospital Municipal, onde o Samu está instalado há cerca de oito anos, modificaram a estrutura do local e dificultaram a permanência da base do serviço naquele mesmo espaço.

Conforme o assessor de gestão da Secretaria Municipal de Saúde, Luiz Schneider, além da reforma hospitalar ter influenciado na decisão de transferência do Samu, outras questões relativas à infraestrutura já pesavam há alguns anos. “Com a reforma do centro de saúde, não havia mais condições físicas de permanecer lá. São várias alterações, inclusive a demolição de uma parte do hospital para construção de um novo prédio. Na verdade, já estávamos há três anos e meio estudando a possibilidade de transferir a sede do Samu, mas era muito difícil achar um local adequado. Precisávamos de um lugar onde houvesse boa logística para as saídas das ambulâncias. Felizmente, agora, encontramos esse imóvel que possibilita saídas rápidas para qualquer direção da cidade”, explica.

Outra vantagem, ainda de acordo com o assessor, é a amplitude do espaço, que chega a quase 300 metros quadrados de edificação e conta, ainda, com um pavilhão e um pátio. Na nova sede, a equipe do Samu será contemplada com dormitórios, espaço para lavagem e desinfecção dos veículos e sala para capacitação – fatores que faltavam na antiga sede, segundo o que expunha a enfermeira responsável pelo Samu Passo Fundo, Marlei de Oliveira, em um ofício encaminhado à Secretaria de Saúde no ano de 2017. Na base que funcionava dentro do complexo hospitalar, ela apontava, por exemplo, a dificuldade na logística do dormitório. Embora existisse um quarto para descanso da equipe, o cômodo ficava muito distante da garagem que abrigava as ambulâncias e, por isso, para não retardar a saída caso fossem chamados, os socorristas que não estavam em atendimento precisavam ficar no próprio estacionamento do Samu. “Ainda estamos trabalhando em algumas readequações, porque até então esse espaço na Rua Lava Pés, próximo ao Germanias Hotel, era um imóvel residencial. Mas já está tudo em fase final, deve ser entregue em cerca de dez dias”, garante Luiz. O imóvel é locado e será pago com recursos municipais e federais.

Novas ambulâncias

Além da nova sede, o Samu deve receber ainda neste ano duas novas ambulâncias. O processo de aquisição dos veículos também está em fase final, conforme o assessor da pasta. Enquanto a entrega de uma das ambulâncias está agendada para outubro, a outra é aguardada em meados de dezembro. O quadro de funcionários, por outro lado, não deve sofrer alterações. “O Samu tem três equipes e onze servidores. Por enquanto, não constatamos a necessidade de ampliação”.

Obras do Hospital Municipal chegam a 40%

Com diversas frentes de trabalho, as obras do Hospital Municipal, onde até então o Samu opera, chegaram a 40% de execução. Mesmo com as obras, os atendimentos continuam normalmente para a comunidade, conforme indicação de acesso no local. No momento, a equipe amplia os serviços no estacionamento da frente e as intervenções de troca de piso, além do início da revitalização da fachada e concretagem da laje do primeiro pavimento do prédio de ampliação, onde fica a área de administração e futura extensão da ala de diagnóstico.

A primeira etapa de ampliação do Hospital Municipal contempla o abrigo de gases, gerador, reservatório de água, vestiário e central de resíduos, serviços estes que estão sendo finalizados. A obra agora está na etapa de ampliação da nova área de serviços do hospital. Junto a isso, está em andamento a reforma do novo Centro de Diagnóstico que, entre outras, vai abrigar a estrutura para a realização de exames de raio-X.

A obra de reforma e ampliação do Hospital Municipal aumentará a área de leitos de 35 para 54, com a criação de 19 leitos – sendo 12 leitos psiquiátricos. Ainda, 20 leitos serão reformados. O investimento total é de mais de R$ 8 milhões entre recursos federais e de contrapartida do município.

Gostou? Compartilhe