Protesto pela preservação da Amazônia reúne ativistas em Passo Fundo

Concentração mobilizou cerca de 250 pessoas na Esquina Democrática

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Os focos de incêndio que se alastram, há mais de duas semanas, pela Floresta Amazônica provocaram uma série de reações, não apenas da comunidade internacional, mas de movimentos sociais e de ambientalistas brasileiros. A onda de protestos chegou às ruas das capitais e cidades do interior do país, na tarde de domingo (25), quando manifestantes marcharam em prol da conservação do meio ambiente e do combate às chamas na zona tropical.


Em Passo Fundo, a mobilização reuniu cerca de 250 pessoas, na Esquina Democrática, como menciona a organizadora do evento promovido pelo espaço de consumo consciente Cozinha Canhota, Marcelle Nogueira Toscani. "Este ato foi organizado em menos de dois dias e conseguiu reunir quase 300 pessoas. Após as falas das lideranças, houve uma caminhada até a Praça Teixeirinha, onde os manifestantes permaneceram com faixas, cartazes e bandeiras, cantando e bradando palavras de ordem contra o governo e a favor da Amazônia", explicou.


O ato, de caráter pacífico como salientou ela, pedia, ainda, a renúncia do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e encerrou-se ao entardecer. Durante as marchas e em meio às vozes que ecoavam pelas caixas de som ilustradas por dizeres como "Espalhe amor, não espalhe fogo", os manifestantes distribuíram sementes de árvores frutíferas e angico vermelho. De acordo com Marcelle, ao longo desta semana, novas pautas entrarão na agenda do grupo para mobilizações a serem convocadas, ainda sem datas definidas.


Governo autoriza ações de combate ao fogo
Entre declarações polêmicas e reunião da cúpula do G-7 para abordar os incêndios na Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro determinou a abertura de uma investigação para apurar as suspeitas que apontam para o início das queimadas na região de mata legal amazônica. Através da rede social Twitter, Bolsonaro afirmou se reunir, nesta terça-feira (27), com os governadores dos estados no norte do Brasil para o início de ações mais concretas de combate ao fogo. "Em conversa com o Presidente Iván Duque, da Colômbia, falamos da necessidade de termos um plano conjunto, entre a maioria dos países que integram a Amazônia, na garantia de nossa soberania e riquezas naturais", ponderou, ainda, o presidente.

Gostou? Compartilhe