Empresas apresentam planilhas de reajuste da passagem de ônibus

Propostas apresentadas pelas empresas que operam o transporte público urbano de Passo Fundo variam entre R$ 4,27 e R$ 4,43

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Passo-fundenses que utilizam o transporte coletivo urbano do município para se locomover podem pagar mais caro pelo serviço nos próximos meses. Nesta semana, a Coleurb, Codepas e Transpasso – empresas responsáveis pelo serviço de transporte coletivo urbano de Passo Fundo – apresentaram à Secretaria de Transportes e Serviços Gerais do Município, como de praxe anual, planilhas de custos em que sugerem aumento no preço das passagens de ônibus. Enquanto a tarifa sugerida pela Coleurb é de R$ 4,27, a Codepas sugere o valor R$ 4,35 e a Transpasso de R$ 4,43. O último reajuste na tarifa havia sido efetuado em abril do ano passado, quando a tabela de preço passou de R$ 3,65 para R$ 3,90.


A composição dos custos da tarifa do transporte é elaborada por cada empresa a partir de referências como o Índice de Passageiros por Quilômetro (IPK) – dado que divide o número de embarques diários de passageiros pela quilometragem diária percorrida pelos ônibus. No caso da Transpasso, o IPK está calculado em 1,61 – o mais baixo entre as três. “É por isso que a sugestão de preço da Transpasso é a mais elevada”, explica a gerente Alessandra Wolffenbuttel. “Por ser uma empresa de apenas duas linhas, temos menos passageiros, o que encarece o custo para cada quilômetro rodado”. As outras duas empresas, Coleurb e Codepas, estimam índices de 1,76 e 1,84, respectivamente.


O pedido de revisão no preço das passagens de ônibus, conforme as empresas, visa também corrigir possíveis elevações nos custos para operação da frota, como a variação no preço de insumos e o reajuste salarial dos trabalhadores do transporte.


Decisão deve ser tomada pelo Executivo


Conforme esclarece o secretário de Transporte e Serviços Gerais, Cristiam Thans, os documentos apresentados pelas empresas devem ser encaminhados nos próximos dias ao Conselho Municipal dos Transportes. Com caráter consultivo, o conselho é responsável por analisar as informações levantadas e, a partir disso, sugerir uma nova tarifa para o transporte. A decisão final, no entanto, precisa partir do Executivo, que pode acatar ou não à solicitação de reajuste. Ainda não há um prazo estimado para o anúncio do possível novo valor.

Gostou? Compartilhe