CUFA arrecada cobertores e agasalhos para comunidades de Passo Fundo

Campanha continua arrecadando comida e produtos de higiene

Por
· 2 min de leitura
 A campanha CUFA Contra o Vírus começou no mês de março (Fotos: Diogo Zannata) A campanha CUFA Contra o Vírus começou no mês de março (Fotos: Diogo Zannata)
A campanha CUFA Contra o Vírus começou no mês de março (Fotos: Diogo Zannata)
Você prefere ouvir essa matéria?

Os seus cobertores e agasalhos podem ter um destino melhor que o guarda-roupa neste inverno. A Central Única das Favelas (CUFA) de Passo Fundo está arrecadando esses materiais para doação. A campanha iniciou com a iniciativa de doadores de alimentos e dos pedidos das comunidades atendidas. Em março a campanha CUFA Contra o Vírus começou a arrecadar alimentos, produtos de higiene e máscaras, entre outros itens. Até a metade de maio, oito toneladas de alimentos já tinham sido doadas e 2 mil barras de sabão foram produzidas com o óleo de cozinha arrecadado. A auxiliar de cozinha, Daiane Trindade é moradora do bairro Valinhos e recebe as doações. Ela e o marido trabalham, mas percebem que no bairro as outras famílias precisam ainda mais desse auxílio. “Ajudaram tantas famílias que não tinham mesmo”, disse.

Como a doação de roupas iniciou de forma espontânea, eles já têm estoque para atender as famílias. “Hoje (26) chegou mais umas 300 peças, então o pessoal está doando, isso é muito bom, mas a demanda é grande, é muito grande mesmo, é como alimentação, por mais toneladas que a gente consiga arrecadar, parece que não consegue suprir”, explicou o coordenador da CUFA Passo Fundo, Marcelo Godoy. A campanha também é uma demanda da comunidade, que costuma pedir, principalmente, cobertores. “Às vezes tem muitas frestas nas casas, elas não são fechadinhas, então o pessoal sofre muito nesse frio. Se a gente dentro da nossa casa, com toda a infraestrutura passa frio, imagina eles morando num casebre todo aberto, sem cobertor”, explicou Marcelo. A moradora Daiane considera a ação muito importante com a chegada do frio. “Como a maioria agora está sem trabalhar, está sem dinheiro para comprar roupa, imagina cobertor”, conta a auxiliar de cozinha.

A CUFA segue arrecadando outros itens, como alimentos. “As pessoas pedem comida pelo whatsapp”, conta o coordenador. Os itens de higiene também seguem sendo recebidos, assim como móveis que serão utilizados em reformas de um dos projetos da organização, e dinheiro. “É importante doações de dinheiro para a gente por gasolina, sem gasolina a gente não tem como chegar nessas localidades”, explica Marcelo. A organização atende, originalmente, os bairros Valinhos e Integração, mas no contexto da pandemia tem realizado doações em outras regiões da cidade. “Onde o pessoal a gente sabe que tem necessidade, que alguém está falando alguma coisa, a gente vai lá fazer um diagnóstico e doar”, explica Marcelo.

Image title

A CUFA

As ações assistenciais não são parte regular do trabalho da CUFA. O objetivo da Central é promover oficinas e o desenvolvimento das pessoas. Em Passo Fundo são oferecidas oficinas de futebol, canto e dança, por exemplo. A filha da Daiane, moradora do Valinhos, é uma das crianças que participam da escolinha de futebol. “Essa parte assistencial a gente está fazendo agora devido a pandemia”, destaca o coordenador. Ele explica que muitas mães precisam ficar em casa porque os filhos não tem aula e a merenda escolar. Já Daiane nota também o desemprego no bairro. “Os que tem [emprego], a maioria tão largando”, conta.

Doações

As doações podem ser feitas entrando em contato pelas redes sociais ou pelos números abaixo:

(51) 99797-5126 (Marcelo Godoy)

(54) 98120-1838 (Guilherme Barreto)

Instagram: @pfcufa

Facebook: Cufa Passo Fundo

Gostou? Compartilhe