Recurso encaminhado por Passo Fundo é novamente negado e região segue em bandeira vermelha

A região completou dois meses em classificação de risco alto no domingo (24)

Por
· 2 min de leitura
O estado tem 17 bandeiras vermelhas e quatro laranjas (Imagem: Divulgação)O estado tem 17 bandeiras vermelhas e quatro laranjas (Imagem: Divulgação)
O estado tem 17 bandeiras vermelhas e quatro laranjas (Imagem: Divulgação)
Você prefere ouvir essa matéria?

O Gabinete de Crise negou, na manhã desta segunda-feira (25/1), os três pedidos de reconsideração à classificação preliminar da 38ª rodada do Distanciamento Controlado. Um dos pedidos foi encaminhado pela região de Passo Fundo. O estado justificou os indeferimentos pelo “risco alto para esgotamento da capacidade hospitalar e velocidade de propagação do coronavírus”.

A região completou dois meses em classificação de risco alto no domingo (24). No entanto, devido à cogestão regional, pode seguir aplicando protocolos de bandeira laranja.

Indicadores

Passo Fundo segue entre as regiões com maior número de novos registros de hospitalizações na última semana, por local de residência do paciente, com 95 internações. As demais regiões são Porto Alegre (171), Caxias do Sul (132), Santa Maria (77), Canoas (73) e Pelotas (71). 

Os dados analisados são referentes a semana de 15 a 21 de janeiro. Passo Fundo alcançou classificação de risco máximo (bandeira preta) em dois indicadores específicos da região: número de hospitalizações por Covid-19 para cada 100 mil habitantes e projeção de óbitos.

A região apresentou uma redução de 28% nos registros de hospitalizações para Covid-19, que passaram de 132 para 95 registros na última semana. Por outro lado, o registro de óbitos aumentou 26%, com 23 óbitos na semana anterior e 29 nos sete dias analisados.

A região registrou 1501 ativos para 6205 recuperados. “A razão entre as duas variáveis ficou em 0.24, uma melhora em comparação a mensuração anterior, que estava em 0.25”, de acordo com a nota técnica que justifica a classificação.

O documento ainda destaca que “a quantidade de novas hospitalizações em proporção da população é bastante elevada”.

O levantamento com as classificações após recursos mostra que a Macrorregião Norte apresenta menos de 0,8 leitos livres para cada ocupado por Covid. Além disso, o indicador de incidência de novas hospitalizações da região de Passo Fundo está avaliado em bandeira preta. Assim, é aplicada a salvaguarda, recurso que mantém a região em bandeira final na cor vermelha.

Estado

O mapa definitivo se manteve com 17 bandeiras vermelhas e quatro laranjas. Os recursos foram enviados pelas associações regionais de Taquara, Guaíba e Passo Fundo, todas regiões em bandeira vermelha.

Mesmo com o início da vacinação no Rio Grande do Sul, o governo considera importante manter o alerta para que toda a população siga mantendo os cuidados, com higienização constante, uso de máscara e evitar aglomerações, para conter a propagação do vírus até que uma parcela significativa de pessoas esteja imunizada.

“A pandemia ainda não acabou. Por isso, seguiremos cumprindo com o nosso papel de emitir os alertas para preservarmos vidas mantendo a maior parte das atividades econômicas funcionando”, afirmou o vice-governador Ranolfo Vieira Júnior, que estava como governador em exercício quando coordenou o Gabinete de Crise no início da manhã desta segunda (25).

RESUMO DA 38ª RODADA

VERMELHA

  • Canoas (em cogestão)
  • Capão da Canoa (em cogestão)
  • Cruz Alta (em cogestão)
  • Erechim (em cogestão)
  • Guaíba
  • Ijuí (em cogestão)
  • Lajeado (em cogestão)
  • Novo Hamburgo (em cogestão)
  • Palmeira das Missões (em cogestão)
  • Passo Fundo (em cogestão)
  • Porto Alegre (em cogestão)
  • Santa Cruz do Sul (em cogestão)
  • Santa Maria
  • Santa Rosa (em cogestão)
  • Santo Ângelo (em cogestão)
  • Taquara (em cogestão)
  • Uruguaiana


LARANJA

  • Bagé
  • Cachoeira do Sul
  • Caxias do Sul
  • Pelotas


Gostou? Compartilhe