Vereadores aprovam compra de vacinas contra a covid-19

PL foi encaminhado pelo Executivo para autorizar o Município a integrar consórcios que buscam a aquisição direta de vacinas contra a Covid-19

Por
· 1 min de leitura
Foto: Diogo Zanatta/PMPFFoto: Diogo Zanatta/PMPF
Foto: Diogo Zanatta/PMPF
Você prefere ouvir essa matéria?

Com 17 votos favoráveis, os vereadores aprovaram, durante a sessão plenária desta segunda-feira (15), o projeto de lei que ratifica a decisão do Município de Passo Fundo em aderir a consórcios públicos objetivando a compra direta de doses de vacinas contra a Covid-19, caso o Ministério da Saúde não cumpra o que prevê o Plano Nacional de Imunização (PNI).

O documento foi encaminhado à Câmara de Vereadores pelo prefeito de Passo Fundo, Pedro Almeida (PSB), na semana passada, A matéria, segundo o prefeito, é importante para reiterar a relação entre a Prefeitura e a Câmara no enfrentamento à pandemia. “A votação desta segunda-feira reforça que o Legislativo também está comprometido em ações que nos ajudem a superar e a vencer esta pandemia”, argumentou o prefeito, destacando que a participação da Municipalidade nestas iniciativas demonstra o interesse na ampliação da cobertura vacinal com maior agilidade. “Estou convicto de que a vacina é a melhor ferramenta para enfrentarmos esta grave pandemia, salvarmos vidas e retomarmos, com mais força, o desenvolvimento econômico”.

Com pareceres favoráveis de todas as comissões, o projeto de lei específica o interesse da Prefeitura na compra dos imunizantes autorizados pela Anvisa, caso o Governo Federal e o Ministério da Saúde não cumpram o PNI e/ou distribuam número insuficiente de doses para imunizar toda a população. A aprovação do projeto é mais uma etapa na sequência de iniciativas que estão sendo adotadas para garantir a ampliação da cobertura vacinal no município. “A Prefeitura está agindo para assegurar que possamos evoluir com mais rapidez na vacinação dos nossos cidadãos. A Câmara cumpre um papel fundamental neste processo de discussão e vai nos ajudar a avançar com mais estabilidade neste tema”, apontou Pedro.

Gostou? Compartilhe