União de esforços para cuidar do meio ambiente

Laboratórios da UPF trabalharam juntos para desenvolver os contêineres distribuídos pelo Projeto em bairros da cidade

Por
· 4 min de leitura
 Foto: Natália Kunz/UPF Foto: Natália Kunz/UPF
Foto: Natália Kunz/UPF
Você prefere ouvir essa matéria?

Em 2020 o Projeto TransformAção, idealizado pela Cáritas Arquidiocesana com o apoio de diversas entidades e instituições, juntamente com cooperativas de reciclagem, iniciaram um processo de expansão dos pontos de coleta de resíduos recicláveis, por meio da produção e instalação de contêineres (eco pontos) em condomínios, empresas e escolas de Passo Fundo. Para pensar os reservatórios, na identidade visual e na comunicação dos espaços, o projeto contou com o suporte da Agência Célula, do curso de Publicidade e Propaganda e do Núcleo de Arquitetura e Desenvolvimento Urbano e Comunitário (Naduc), da Faculdade de Engenharia e Arquitetura da UPF. A instalação do primeiro contêiner com a campanha ocorreu na tarde da quarta-feira, dia 9, no Condomínio Horizontal Morada Além do Horizonte. A coleta dos resíduos desse ecoponto ficará sob responsabilidade da Associação dos Recicladores Esperança da Vitória (Arevi).

A instalação do contêiner foi o primeiro passo. No espaço, pensado para atender a demanda, será possível dar o destino ambientalmente correto para papel, metal, plástico, vidro e óleo de cozinha. Contudo, segundo o coordenador da Agência Célula, professor Me. Olmiro Cristiano Lara Schaeffer, para que isso aconteça, é importante que cada pessoa tenha informação e conhecimento sobre como fazer o descarte correto.

Ele explica que, para alcançar esse objetivo e visando mobilizar as pessoas a fazerem a sua parte no ciclo da reciclagem, a Agência criou um projeto de comunicação lúdico e criativo para os contêineres, intitulado “Esquadrão TransformAção – Natureza equilibrada, vida preservada”. Por meio de um storytelling, cada tipo de material foi associado a um personagem, um animal, que orienta sobre como fazer o descarte correto e dá algumas dicas. “Além de criar as histórias dos personagens, os estudantes de publicidade também os desenharam e os estamparam nos próprios contêineres. A turma do Esquadrão TransformAção também ganha vida através das redes sociais, em um ímã de geladeira e um folder impresso com orientações detalhadas e jogos de passatempo. O objetivo da campanha é chamar atenção para a necessidade da reciclagem e orientar a destinação correta de cada resíduo de uma forma lúdica e atraente”, explica o coordenador.

 

A construção do Esquadrão Transformação

Olmiro lembra que, inicialmente o Projeto TransformAção solicitou à Agência Célula UPF apenas a produção de adesivos simples para a sinalização de cada tipo de resíduo no contêiner. Mas estudantes e professores diagnosticaram que seria necessário ir além e fazer uma campanha educativa de reciclagem.

Ao colocar a ideia do processo criativo em prática, a equipe criou o “Esquadrão Transformação”, composto por uma turma de animais que ajudam a reciclar e que tem o dever de cumprir uma missão muito importante junto com o Projeto TransformAção: descartar os resíduos corretamente. Para isso, relata o coordenador, eles contam com a ajuda do Senhor Polvo, do Filhote Urso, da Dona Raposa, da Mamãe Pássaro e do Cachorro Caramelo. “Inicialmente a ideia foi pensada para o público das escolas, visando chamar a atenção principalmente das crianças, uma forma atraente e divertida das mesmas incentivarem em suas famílias o descarte correto. A campanha então ganhou o nome de “Esquadrão Transformação”, e o slogan “Natureza preservada, vida equilibrada”, passando a mensagem de que se o meio ambiente estiver saudável, teremos um equilíbrio entre desenvolvimento e qualidade de vida”, complementa o professor.

Acadêmica integrante da Agência, Natália Kunz participou ativamente dos processos. Ela pontua que, já no início da graduação, sentia a necessidade de explorar oportunidades de envolvimento com a realidade da profissão e com a comunidade. “É muito gratificante poder trabalhar com os professores, colegas e o público de fora (clientes e parceiros), ainda mais com causas de cunho social e tão relevantes. É um conhecimento que vai além da vida profissional, mas como pessoa”, relata a estudante que está no 6º nível.

Na opinião do acadêmico Lucas do Nascimento Apolinario, a participação no projeto tem sido fundamental para sua formação. Ainda no início do curso de Publicidade e Propaganda, ele ressalta que integrar a equipe foi uma oportunidade de crescimento e aprendizado. “É a chance que tenho de colocar em prática tudo aquilo que aprendo em sala de aula, conhecer e trabalhar com estudantes de outros cursos, e levar o curso de Publicidade e Propaganda da UPF para além dos limites do campus, que é o objetivo da extensão. Além de trabalhar sempre com temas muito importantes e socialmente responsáveis, tem sido um momento de grande aprendizado”, frisou.

 

Um projeto enriquecedor

De acordo com Luiz Eduardo Lupatini, arquiteto e urbanista e responsável técnico do Naduc, o projeto envolveu a todos e foi colocado em prática por estudantes estagiários do curso de Arquitetura e Urbanismo, e mais diretamente, na elaboração da proposta, das acadêmicas Andressa Wietholter e Bruna Schuck de Jesus.

Para o supervisor da atividade, este projeto em especial, trouxe relações importantes com temas referentes ao saneamento ambiental, reciclagem e reaproveitamento de resíduos. Assuntos assim, vinculados à prática estão diretamente relacionados com a qualidade de vida em nossas cidades. “Projetos como estes contribuem para o aprofundamento, por parte de professores e acadêmicos, em estudos sobre os impactos ambientais da geração de resíduos, e como podemos criar soluções que contribuam com o manejo e o reaproveitamento destes materiais, dentro do ambiente urbano. O Naduc, como núcleo de extensão, estabelece parcerias com diversas entidades, contribuindo para a aproximação entre a Universidade e a comunidade”, observa Lutapini.


Gostou? Compartilhe