Sexto protesto contra aumento da passagem

Depois de Porto Alegre, Passo Fundo, São Paulo e Rio de Janeiro, manifestações ganham apoio em dezenas de cidades brasileiras e em mais de 15 países

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

O Comitê de Lutas Sociais marcou outro protesto contra o aumento das tarifas de transporte coletivo em Passo Fundo. A nova manifestação está agendada para quinta-feira (20), na esquina entre a Avenida Brasil e a Rua Bento Gonçalves, a partir das 18h. Este será o sexto protesto realizado desde abril na cidade. No entanto, neste ato os protestos incluirão ainda outras duas temáticas. A primeira é contra a reforma do ensino médio e a segunda é em apoio aos manifestantes e jornalistas presos e violentados covardemente nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Porto Alegre, que também realizaram protestos pela revogação do aumento das passagens.

Como nos outros atos, a organização está enviando convites para o protesto pelo Facebook. O texto da página ressalta o caráter pacifico do evento, mas convida a população a se revoltar contra o aumento das passagens e contra a criminalização dos movimentos sociais. “Chegou a hora de partirmos para uma nova ofensiva em Passo Fundo, vamos mostrar para os governantes locais que a nossa luta se nacionalizou!”, diz o convite.

Segundo um dos organizadores do protesto e membro do Comitê de Lutas Sociais de Passo Fundo, Arthur Bispo, aproximadamente duas mil pessoas confirmaram a presença no evento, praticamente o dobro registrado nos últimos protestos, quando a média de participantes foi de 400 pessoas. “Nossa luta é pela revogação do aumento e um espaço para se posicionar contrário a esta repressão policial que está chegando a todos os cantos do país. A nossa orientação é a mesma: realizar mais um protesto pacífico. Somente se a polícia agir de forma truculenta, o nosso movimento será diferente”, garantiu.

O decreto que aumentou a passagem de R$2,45 para R$2,70 foi publicado pelo Prefeito Luciano Azevedo no final de março e começou a valer a partir do dia 2 de abril.

Outros protestos
Nas redes sociais, o movimento ganhou força a partir do ato realizado em São Paulo na semana passada. Em protesto a violência utilizada, mais de 200 cidades espalhadas pelo mundo se organizaram para contestar problemas específicos ou por solidariedade ao movimento. A lista das cidades participantes está no link www.melhorquebacon.com.

Gostou? Compartilhe