Milhares de fiéis em procissão neste domingo

Romaria de Nossa Senhora Aparecida celebra os 300 anos do encontro da imagem no Rio Paraíba

Por
· 3 min de leitura
Romaria de Nossa Senhora AparecidaRomaria de Nossa Senhora Aparecida
Romaria de Nossa Senhora Aparecida
Você prefere ouvir essa matéria?

Celebrando o lema “300 anos de bênçãos e de graças”, a 37ª Romaria de Nossa Senhora Aparecida, que acontece neste domingo, 8 de outubro, vai ao encontro das celebrações que movimentam todo o país e busca homenagear a santa que, há 300 anos, foi encontrada por pescadores no Rio Paraíba e tornou-se a padroeira do Brasil e, também, da Arquidiocese de Passo Fundo. A procissão teve início às 8h, em frente à Catedral. Às 10h30 foi realizada a missa campal, presidida pelo arcebispo dom Rodolfo Luís Weber, no Santuário Nossa Senhora Aparecida, com a presença da imagem peregrina.

 

Ano de celebração

Para o padre Daniel Feltes, reitor do Santuário, a motivação pela celebração do Ano Mariano ajuda a comunidade a se sintonizar com a espiritualidade de Maria e, também, a se preparar de forma mais intensa para a Romaria. “É um ano todo especial para a Igreja do Brasil: ano em que celebramos os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida. É um ano de festa e, por isso, as motivações para a Romaria são muito bonitas”, inicia. “Temos uma programação bastante variada, com momentos de celebração e oração para acolher os peregrinos e devotos de Nossa Senhora Aparecida. É uma festividade que envolve toda a cidade e Arquidiocese e, assim, mobiliza a região. É um momento preparado com bastante antecedência e é muito aguardado”, complementa o padre.

 

Juventude que crê

A expectativa é grande, também, para a juventude da Arquidiocese. A história de uma romaria que começou com um simples trocar de passos e, pouco a pouco, conquistou devotos é inspiração para que os jovens também caminhem em busca da intercessão de Nossa Senhora Aparecida. Nos últimos anos, o início da tarde, no dia da Romaria, tem sido da juventude. Em 2017, não será diferente: o Setor Juventude da Arquidiocese está organizando duas horas de atividades e apresentações dos diferentes grupos, movimentos e pastorais juvenis. O espaço é, para o jovem, a oportunidade de apresentar à comunidade a sua atuação junto à Igreja e a sua devoção à Nossa Senhora Aparecida. Também, é nesse momento que o Setor Juventude irá encerrar a peregrinação da imagem de Nossa Senhora que vem percorrendo todas as paróquias da Arquidiocese.

 

Saúde e bem estar

Pensando, justamente, em proporcionar aos romeiros uma experiência de fé, a organização da Romaria conta com o apoio de uma equipe de ambulatório – formada por profissionais da área médica e da enfermagem e, também, com o auxílio de alunos do curso técnico de Enfermagem da Escola de Educação Profissional São Vicente - que busca orientar e atender casos onde há um mal estar. No ano passado, foram realizados 73 atendimentos no ambulatório e os principais problemas relacionados à saúde dos fiéis durante o percurso são a desidratação, hipotensão e hipoglicemia. “Primeiramente os romeiros devem ter uma boa noite de sono e descanso, pois isso será importante para o corpo durante o percurso evitando assim um estresse físico acentuado. Alongar-se antes e depois do percurso, ajuda a evitar lesões musculares. Deve-se fazer pausa durante o trajeto. Quem não tem preparo físico deve fazer intervalos a cada 15 a 20 minutos para beber água e recuperar os principais músculos”, orienta a enfermeira Adrieli Rochembach que acrescenta, ainda, que é importante optar por roupas leves, por alimentação saudável e pela hidratação frequente.

 

Mostra de Ações Solidárias

Como aconteceu nos últimos anos, a Mostra de Ações Sociais Solidárias - atividade que acontece junto à Romaria de Nossa Senhora Aparecida desde 2014 e reúne os grupos que se constituem a partir do conceito de economia solidária - faz parte da programação Romaria Arquidiocesana de Nossa Senhora Aparecida e não se constitui em um evento paralelo, mas busca, assim, comungar da espiritualidade que é inerente à Romaria.  “A Mostra ganhou força e tomou corpo diante dos romeiros. Costumamos dizer que ela não acontece só no dia da Romaria porque, desde a sua preparação, existe uma construção coletiva e uma partilha que caracterizam o espírito solidário proposto pela ação”, coloca Franciel Bachi, um dos assessores da Cáritas.

 

 

Gostou? Compartilhe