Stadtbus tenta abrir mercado na região

Empresa participa de licitação em Passo Fundo e em Erechim. Em Botucatu (SP) empresa teve contrato rompido, mas mantém concessão através de liminar

Por
· 2 min de leitura
Empresa opera em Botucatu sob liminarEmpresa opera em Botucatu sob liminar
Empresa opera em Botucatu sob liminar
Você prefere ouvir essa matéria?

Com um projeto de expansão impulsionado pelos processos licitatórios do transporte público nos municípios, a Stadtbus Transporte Coletivos, tenta abrir mercado na região Norte do Estado. A empresa de nome alemão, de difícil pronúncia, sediada na cidade de Santa Cruz do Sul, passou pelas duas primeiras etapas do certame de Passo Fundo, mas a decisão foi suspensa na semana passada, através de uma liminar concedida pela Justiça. Na vizinha Erechim, ela aguarda a publicação de um novo edital para entrar na disputa.


Diversos municípios do Rio Grande do Sul começaram a lançar, pela primeira vez, a licitação para o transporte público a partir de 2008. Em muitos deles, a disputa foi parar na Justiça e o processo se arrastou por mais de 10 anos. Um dos casos mais emblemáticos ocorreu na cidade de Cachoeirinha, na região Metropolitana. Após uma briga de recursos, a Stadtbus acabou sendo declarada vencedora através de um sorteio na loteria federal. A alternativa precisou ser adotada depois que a empresa de Santa Cruz do Sul, e a Transcal, de Canoas, terminaram o certame empatados na pontuação dos critérios definidos no edital.

 

O contrato de concessão foi assinado em agosto de 2011 e a empresa passou a operar no final do mesmo ano, tanto no transporte dos coletivos como também das lotações. Com uma população de quase 120 mil habitantes, o valor da tarifa em Cachoeirinha é de R$ 4,00 considerada uma das mais altas do Estado. Para quem optar pela lotação, tem de desembolsar R$ 5,40.

 

A empresa chegou a disputar as licitações nas cidades de São Leopoldo e Porto Alegre, mas acabou desclassificada. No caso da capital, por não ter apresentado a documentação necessária. Ainda na Região Metropolitana, ela faz parte de um consórcio, juntamente com outras cinco empresas responsáveis pelo transporte na cidade de Esteio, e está de olho no mercado de Novo Hamburgo. Lá, o processo se estende desde 2011 e já foi suspenso por duas vezes. Quatro empresas da cidade, uma de São Paulo e duas do Rio Grande do Sul, entre elas, a Stadtbus, estão na disputa. Segundo o diretor de transporte público do município, Leandro de Bortoli, um novo edital deve ser lançado em janeiro.


Atualmente, a Stadtbus opera sozinha ou através de consórcios, nas cidades gaúchas de Bagé, Cachoeirinha, Campo Bom, Esteio, Rosário do Sul, Santa Cruz do Sul e Teutônia. Fora do Rio Grande do Sul, detém concessões na cidade paulista de Botucatu, e Luis Eduardo Magalhães, na Bahia.

 

Problemas em Botucatu


Na cidade paulista de Botucatu, a empresa briga na Justiça para manter a concessão. Em abril deste ano, o prefeito Mário Pardini (PSDB) rompeu o contrato com a Stadtbus e Viação São Dimas, sob alegação que ambas descumpriram as cláusulas no contrato de concessão. No ano passado, reportagens publicadas pela imprensa local revelaram uma situação caótica do transporte na cidade, com relatos de acidentes e problemas mecânicos nos veículos. Em um dos casos, a roda do ônibus se desprendeu do eixo durante o deslocamento de uma linha a outra. Também houve um grande volume de multas aplicadas aos motoristas, por infrações no trânsito.


A prefeitura deu início a uma nova licitação, que acabou sendo impugnada no início de setembro. O pedido foi acatado pelo Tribunal de Contas, que determinou a suspensão temporária do certame. Em outubro, as duas empresas conseguiram na Justiça uma liminar e voltaram a operar no município. A prefeitura aguarda o parecer do Tribunal de Contas sobre o edital para definir os próximos passos.

 

Acompanhe a reportagem completa na edição impressa do O Nacional deste fim de semana. 

Gostou? Compartilhe