UPF Parque tem nova gestão

Alinhar a gestão de inovação com a estratégia de negócios: mudanças de comportamento, criação da cultura de inovação, são algumas das transformações que pautam a nova gestão do UPF Parque

Por
· 2 min de leitura
 Foto: Caroline Simor/UPF Foto: Caroline Simor/UPF
 Foto: Caroline Simor/UPF
Você prefere ouvir essa matéria?

Com o objetivo de ampliar as ações desenvolvidas e potencializar novos projetos, a Universidade de Passo Fundo (UPF) empossou, na última sexta-feira, dia 27 de agosto, a nova gestora do UPF Parque. O trabalho com foco na gestão da inovação, onde o objetivo é buscar aliar o conhecimento teórico/científico com o ambiente prático das empresas e indústrias, gerando valor para a sociedade por meio da inovação de processos, é um dos principais desafios.

Para a gestora, Teofanes Foresti Girardi, doutora em Design e Tecnologias pela UFRGS, gerir o conhecimento é gerir um dos maiores ativos dentro de uma organização. Logo, Gestão de Processos, Gestão de Conhecimento e Gestão de Inovação devem andar em conjunto dentro de qualquer organização e são alguns pontos observados por ela.

Com experiência de mercado e também de sala de aula, ela assumiu o desafio de unir a base científica da Universidade, o capital intelectual, com o Pilar da Inovação. “Inovação é impacto. Já temos um caminho trilhado e nosso desafio é colocar em prática um conjunto de comportamentos que dão suporte a cultura de inovação, contribuindo para o modelo de universidade empreendedora e ativa, fazendo com que a cultura da inovação se estabeleça dentro da Academia. Nosso papel como Parque Tecnológico é ser a mola propulsora deste movimento que integra pesquisadores, acadêmicos e empresas, criando e desenvolvendo um ambiente de inovação, a partir de novos modelos de negócios”, ressalta.

Para isso, a equipe atuará alinhando as estratégias de inovação com as estratégias de negócios, distribuindo os esforços de inovação entre horizontes de crescimento distintos, frentes, que já estão desenhadas: a Indústria Criativa, o Agronegócio, as Edtechs, a Saúde Digital e de maneira transversal as TICS (Tecnologias de Informação e Comunicação) que podem ser aplicadas em todos os segmentos.

Dentro dos grandes projetos, Teofanes destaca que haverá ainda mais espaços e oportunidades para ações e programas estruturados e planejados, visando incrementar a integração e a cooperação entre o UPF Parque e as empresas, para que novos modelos de negócios e novos produtos sejam criados.

Presente no encontro, que contou com a participação de professores e empresas incubadas e residentes no Parque, a reitora, professora Dra. Bernadete Maria Dalmolin, destacou que a nova gestão chega para fortalecer o que já vem sendo feito. Segundo ela, a intenção é que o conhecimento gerado na Instituição traga, cada vez mais, soluções para os problemas existentes na sociedade. “Queremos fortalecer o nosso braço forte na ciência e na pesquisa, ampliando as conexões com empresas, poder público, com a sociedade e também com nossos currículos para que esse processo ocorra de forma mais acelerada. Com isso, queremos abrir novas oportunidades e movimentar as ações e projetos na velocidade que precisamos”, frisou.

O vice-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação, Extensão e Assuntos Comunitários, professor Dr. Rogério da Silva, também esteve presente, bem como o professor Dr. Roberto Rabello, que, como docente da Instituição e empresário de uma das empresas que estiveram incubadas, integra a equipe.

Gostou? Compartilhe