Quando o teatro (literalmente) invade o palco

Em evento que acontece no Rito Espaço Coletivo neste sábado, peça do grupo teatral Madame Frigidaire mistura-se ao show da banda Dezert Sons

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Dizem por aí que a esperança é a última que morre. A frase, no entanto, gera discordâncias. Para os personagens da peça “Scória”, escrita e produzida pelo grupo de teatro experimental Madame Frigidaire, certamente, o ditado não passa nem mesmo perto da realidade. Dando-se conta de pequenas ilusões diárias que os sustentam, ao longo do texto eles refletem, justamente, sobre o que acontece quando a esperança não é a última a sobreviver e o que incide sobre seus corpos e mentes quando eles fazem um esforço para matá-la logo. Juntos, vivendo vidas miseráveis e sem sentido, eles encontram-se durante as noites para conversar sobre amor, morte, pobreza, suicídio, chuva, arte e fantasmas, convictos de que o encontro é a forma mais bela de homenagear a existência. “[A premissa da peça] pode parecer bem pessimista, mas talvez seja uma atitude corajosa e revolucionária, vital, necessária e urgente”, comenta o ator e diretor, Lucas Quoos. Carregada de pessimismo ou não, neste sábado (21), a partir das 20h, “Scória” invade o show de lançamento do single “Tudo Vira Blues”, da banda Dezert Sons, no Rito Espaço Coletivo. A contribuição para entrada é espontânea.

Quando os membros do Madame Frigidaire falam em invadir o show, não é mera expressão. Levados pela ideia de criar novas linguagens dentro da arte, eles aproveitam o evento para difundir seu próprio jeito de fazer teatro: como um processo de criação e experimentação que nunca finda. “Vamos misturar teatro e blues e tentar fazer tudo uma coisa só. Não pretendemos fazer uma grande separação entre ‘hora do teatro e hora da banda’. O teatro terá mais foco no início, mas a banda estará sempre presente. No final, o teatro gradativamente sai de cena e então os guris fazem um show. O single tem tudo a ver com a peça. Em um momento da música é recitada uma poesia que já foi usada em algumas montagens de Scória. É como se a música fizesse mais parte da história daqueles personagens que habitam a peça do que da minha e da banda”, Lucas explica.

Escrita ainda em 2016, Scória já rodou por praças, becos e vielas, mas nunca foi apresentada exatamente da mesma maneira. A narrativa corre solta, sem um roteiro enrijecidamente amarrado – ela assiste atores, muitos sendo poucos experientes, irem e virem, inventando-se e reinventando os personagens. Na apresentação deste sábado, que acontece no Rito, quem aparece são figuras interpretadas por Lucas Quoos e Isadora Stentzler: Mosca, uma espécie de bufão alcóolatra, e Jéssica, uma garota suicida. “Jéssica aparece como escritora e, mesmo passando por perrengues de grana, não abre mão do que gosta de fazer para entrar em uma rotina comum. E isso a constrange um pouco. É por isso que toda sexta-feira ela pensa em suicídio. Mas também toda sexta-feira ela abre mão do suicídio. Jéssica aparece com o estereótipo da nova geração que é frustrada, mas ela ainda nutre um pouco de coragem para não abandonar o que gosta e se render ao capital. E a peça gira em torno dos diálogos em que ela e Mosca têm diante dessas situações”, apresenta Isadora.

“Tudo vira blues”

A novidade que motiva o evento é o lançamento do terceiro single do grupo passo-fundense Dezert Sons, “Tudo vira blues”. Criada em agosto de 2016, a banda deu o pontapé inicial em suas atividades em março de 2017, com a seleção da banda como representantes brasileiros no Festival Internacional de Música Alternativa Guarani World, realizado na cidade de Corrientes, Argentina. Desde então, os Dezert Sons têm levado seu trabalho a pubs, bares, casas de cultura, teatros e festivais em todo sul do Brasil. Formada pelo vocalista Josias Graboski, o guitarrista Rodrigo Brites, o baixista/pianista Marcelo Sganzerla e o baterista João Ritzel, a banda apresenta uma sonoridade construída a partir de riffs de guitarra expressivos, tendo por base e referência o Blues Elétrico e o Rock dentro de várias vertentes, aliados com a influência da música brasileira. Sendo assim, tem por principais referências musicais artistas e bandas como Stevie Ray Vaughan, Jimi Hendrix, The Doors, The Beatles, Zakk Wylde, Joe Bonamassa, Cazuza, Barão Vermelho, Led Zeppelin, Black Sabbath, Pink Floyd e Rival Sons.

 

Serviço

O que: Lançamento do Single Tudo Vira Blues + Madame Frigidaire

Quando: Sábado (21), às 20h

Onde: Rito Espaço Coletivo (Rua Aníbal Bilhar, 900A)

Quanto: Contribuição espontânea

 

Gostou? Compartilhe