História em quadrinhos lançada por editora passo-fundense vence prêmio LeBlanc

Obra “O Anel Cardinale: As Aventuras de Fabrício Bomtempo”, uma coedição entre a editora passo-fundense Physalis e a porto-alegrense Libretos, foi agraciada com o Prêmio de Quadrinhos Brasileiro, na categoria HQ nacional por editora

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A história em quadrinhos “O Anel de Cardinale: As Aventuras de Fabrício Bomtempo”, dos autores Christian David e Ernani Cousandier, recebeu no último mês o IV LeBlanc, Prêmio de Quadrinhos Brasileiro, na categoria HQ nacional por editora. A obra é uma coedição entre as editoras Physalis, comandada pelo escritor passo-fundense Pablo Morenno, e a porto-alegrense Libretos. 

Primeiro volume de uma narrativa dividida em duas partes, “As Aventuras de Fabrício Bomtempo” conta a história de um protagonista que precisa dar conta das relações sociais e ainda solucionar o mistério de sua existência – tudo isso, após uma maldição que recaiu sobre seu tio. Para sobreviver, o personagem usa o humor e o amor para aliviar sua vida indecifrável e impossível. O livro, de 56 páginas, pode ser adquirido no site da Physalis Editora por R$ 45.

Conforme revela o escritor gaúcho Christian David, responsável pelo roteiro, o texto que deu origem a HQ tinha a forma de uma novela fantástica juvenil e a pretensão era lançá-la somente na versão de livro. A partir do contato e da amizade com o desenhista Ernani Cousandier, porém, ficou claro que o formato HQ era uma alternativa viável. “Eu sabia que a história era boa e já tinha os direitos dela, mas a Physalis nunca tinha lançado uma história em quadrinhos, então eu precisava de alguém que tivesse experiência com projeto gráfico para quadrinhos, por isso procurei a editora Libreto para nos ajudar neste formato”, conta Morenno. Foi assim, nessa mistura de ideias, que o projeto foi abraçado pelas duas editoras e o primeiro volume da história acabou lançado, em 2020, como uma história em quadrinhos.

Para quem prefere consumir o conteúdo fora deste formato, como uma novela infanto-juvenil, por outro lado, também é possível encontrar o texto original à venda no site da Physalis Editora, com o título “Fabrício Bomtempo e as Relíquias impossíveis”. O livro, de 112 páginas, está em pré-venda por R$ 32. “Nessa versão original, o leitor encontra a história completa. Para os quadrinhos, nós dividimos em dois volumes. O segundo será lançado no ano que vem”, explica o editor.


“É muito importante trazer esse título para a cidade”

O Prêmio Le Blanc de Arte sequencial, Animação e Literatura Fantástica é uma premiação brasileira dedicada a produções nacionais nos campos de história em quadrinhos, animação, literatura fantástica e games. Bastante prestigiado em meio ao mercado de quadrinhos, o prêmio, cujo nome é uma homenagem ao artista André LeBlanc, é organizado pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pela Universidade Veiga de Almeida e sua entrega ocorre durante a Semana Internacional de Quadrinhos (SIQ), evento acadêmico sobre quadrinhos da UFRJ.

Para o editor da Physalis, Pablo Morenno, a vitória representa um reconhecimento e um estímulo à produção literária em Passo Fundo. “Nós [da Physalis] já tínhamos recebido prêmios estaduais, mas agora, receber um prêmio nacional, logo com nosso primeiro quadrinho, é uma alegria muito grande. Ainda mais por ser um prêmio consideradíssimo no meio e que tem duas fases de votação: o voto dos leitores e do júri técnico. É muito importante trazer esse título para a cidade, porque somos a capital nacional da literatura, mas não temos mais projetos de literatura na cidade e é uma coisa que nos preocupa muito”, expõe.

O escritor e editor também revela que, ao criar a editora, a falta de uma produção literária local era outro fator que o preocupava. Na percepção de Morenno, embora Passo Fundo seja um polo consumidor de literatura, a cidade carece de grandes escritores e de obras com alcance nacional. “Nós sempre trazemos muitos escritores de fora, mas não há um incentivo para a produção aqui dentro. Por isso eu sempre busquei publicar pela Physalis obras em um padrão de qualidade que pudesse competir com as editoras de fora. ‘O Anel Cardinale’, por exemplo, segue o padrão de quadrinhos europeus. Ganhar o prêmio nos mostra que deu certo, que foi uma boa aposta, e nos ajuda a trazermos autores e ilustradores nacionais para o catálogo de Passo Fundo”.

A obra “O Anel Cardinale: As Aventuras de Fabrício Bomtempo”, adianta Pablo Morenno, também está inscrita no Prêmio Jabuti, considerado o prêmio literário mais tradicional do Brasil, concedido pela Câmara Brasileira do Livro. “Já será um grande reconhecimento até mesmo se nós, como uma editora pequena e do interior, concorrendo com editoras importantes, ficarmos na lista da premiação”, considera.

Gostou? Compartilhe