Comércio reforça ações de orientação e prevenção contra o Coronavírus

Medidas também integram campanha Ambiente Seguro, lançada recentemente pela Prefeitura de Passo Fundo para ampliar o diálogo com a comunidade sobre o enfrentamento da pandemia

Por
· 3 min de leitura
Foto: Diogo Zanatta/PMPFFoto: Diogo Zanatta/PMPF
Foto: Diogo Zanatta/PMPF
Você prefere ouvir essa matéria?

“Tenho observado que a grande maioria das pessoas entende a gravidade da pandemia e busca se prevenir. Aqui na loja, por exemplo, todos os clientes fazem questão de higienizar as mãos a todo instante, mantém o distanciamento e sempre usam máscara”, comentou Odete Dornelles, gerente de uma loja de brinquedos na rua Morom. Antes de entrar no estabelecimento, uma funcionária afere a temperatura do consumidor e orienta sobre o uso do álcool em gel. “Já é um hábito que adotamos aqui”, resume ela.

As medidas de prevenção contra o Coronavírus e a preocupação das autoridades sanitárias com o crescimento dos casos ativos de Covid-19 no município tem feito com que os comerciantes, entidades representativas de classe e a Prefeitura intensifiquem as campanhas de orientação à comunidade. “A fiscalização tem cumprido seu papel. Estamos ampliando as operações, contando sempre com o apoio da Força-Tarefa criada para esta finalidade. Já são cerca de 14 mil operações desde o ano passado, a maior parte delas focando na orientação e na prevenção. Precisamos seguir insistindo para que cada um faça a sua parte”, disse o prefeito de Passo Fundo, Pedro Almeida, ao apresentar, recentemente, a campanha “Ambiente Seguro”, cujo foco é trabalhar a conscientização social.

De acordo com o prefeito, a nova forma determinada pelo Estado de monitorar a pandemia precisa ser acompanhada de uma maior responsabilidade individual na adoção dos protocolos sanitários que contribuem para a redução da velocidade da propagação do vírus. “Os cuidados não são mais uma novidade. Acredito que todas as pessoas estejam até cansadas de saber que precisam continuar usando máscaras, evitar aglomerações, higienizar com frequência as mãos, manter o distanciamento. Mas, ainda assim, temos que reforçar isso como uma das ferramentas para evitarmos um novo colapso dos nossos hospitais”, defendeu Pedro.

Estas medidas individuais de cuidados também são seguidas à risca pelos funcionários de uma ótica no centro da cidade. “Como trabalhamos com armações de óculos e as pessoas precisam experimentá-los, adotamos protocolos de limpeza constante e higienização total das armações e de todos os espaços da loja. Além disso, temos recipientes com álcool em gel espalhados em diversos pontos, sobretudo na entrada do estabelecimento. A grande maioria das pessoas, antes de entrar, já limpa as mãos. É algo automático”, opinou a gerente, Lúcia Colle.


Ações coletivas

Nos estabelecimentos comerciais, a parceria entre os lojistas e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) tem surtido efeitos positivos. É o que aponta o presidente da entidade, Sérgio Giacomini. “A CDL, desde o início da pandemia, presta um serviço de apoio e orientação aos seus associados, disponibilizando materiais informativos, esclarecendo dúvidas e orientando sobre os protocolos sanitários que devem ser seguidos”, comentou ele, destacando que os cuidados dos empresários e comerciantes iniciam já antes de o consumidor entrar no estabelecimento. “Em todas as lojas há os avisos sobre a prevenção e como deve ser o comportamento do consumidor”.

Diante da retomada de todas as atividades econômicas, o presidente da CDL reforça a importância do diálogo entre a entidade, os lojistas e o Poder Público. “O comércio tem feito e praticado todas as regras de prevenção estabelecidas pelos decretos sanitários. A população também precisa colaborar e fazer a sua parte para superarmos estas fases difíceis”, avaliou.


Cobertura vacinal

Um dos reflexos da ampliação da cobertura vacinal dos passo-fundenses é o número maior de pessoas com mais de 60 anos circulando pelo comércio. A observação foi feita pela gerente da loja de brinquedos. “Como a gente trabalha com brinquedos infantis, sempre recebíamos muitos avós aqui. Com a pandemia, esse número despencou. Mas, agora com a vacinação, eles estão voltando. Dias atrás, por exemplo, uma cliente que enviava Whatsapp pra saber o preço dos produtos veio até a loja. Ela contou que recebeu as duas doses da vacina e se sente mais segura para ir retornando às suas atividades”, relatou Odete, falando com alegria que espera que todos tenham essa oportunidade. “Vacina é o que a gente precisa pra todo mundo poder ficar mais tranquilo”.


Gostou? Compartilhe