Consumo de leite cru no RS é o mais baixo do Brasil

Estado lidera ranking nacional com 18% de leite não inspecionado oficialmente, à frente de Piauí (89%), Maranhão (83,7%) e Minas Gerais (36,8%)

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Rio Grande do Sul possui a menor taxa de consumo de leite cru no Brasil. É o que mostra um levantamento feito recentemente pela Leite Brasil, associação que representa os produtores nacionais, com base na Pesquisa da Pecuária Municipal para o ano de 2011, divulga pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia a Estatística). O Estado gaúcho lidera o ranking nacional, com apenas 18% do leite consumido não inspecionado oficialmente. Em Minas Gerais, importante Estado produtor, 36,8% do leite é informal. Os índices mais altos foram registrados em Piauí e Maranhão, com 89% e 83,7%, respectivamente.

Para Jorge Rubez, presidente da Leite Brasil, o baixo consumo de leite cru na região é questão de hábito tanto do produtor, que entrega leite de qualidade, quanto do consumidor, que quer ter à mesa um produto seguro e com qualidade nutricional. “O produtor gaúcho tem um bom histórico na entrega do leite à indústria e recebe assistência para isso. Não vemos em cidades do interior, por exemplo, a prática de entrega de leite cru em residências, como em outros locais. Acredito que boa parte do consumo de leite não inspecionado na região se dê, inclusive, em propriedades rurais, incluindo o consumo por animais jovens”, afirma.

Estima-se que hoje, no Brasil, o consumo de leite cru represente cerca de 32% do total produzido no País. Este cenário não deixa de ser ameaçador, uma vez que o leite, quando não tratado termicamente por meio dos processos legais e adequados, se torna um potencial transmissor de doenças por meio de bactérias como a Salmonella, E. Coli, e a Listeria.

 

Gostou? Compartilhe