Teste de brucelose para ovinos é obrigatório

Hora de realizar exames e evitar prejuízos

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

O Departamento de Defesa Sanitária da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Agronegócio orienta criadores de ovinos e veterinários a realizarem o exame de brucelose ovina (ou epididimite ovina). A doença pode provocar prejuízos econômicos, causando problemas de reprodução no criatório, podendo até tornar o animal infértil.  
Além de ajudar a identificar problemas no rebanho, o atestado negativo para a doença está sendo exigido, desde 1º de janeiro para a emissão de Guias de Trânsito Animal (GTA) para os exemplares machos reprodutores que forem participar de exposições, feiras, leilões ou outras aglomerações de ovinos em todo o estado. 
Seis laboratórios estão cadastrados junto à Seapa para a realização do exame em diferentes regiões do estado. São considerados carneiros reprodutores e, portanto, obrigados a apresentar o laudo, os machos com idade superior a oito meses. O exame de brucelose ovina é realizado através de amostra de sangue do animal, coletada e enviada por veterinário responsável a um dos laboratórios credenciados. 

Gostou? Compartilhe