Governo do estado vai permitir aulas presenciais em regiões com bandeira vermelha

Decreto com a mudança deve ser publicado até quarta (25)

Por
· 1 min de leitura
Leite afirmou que já houve retorno de diversas etapas de ensino sem intercorrências ou problemas sanitários - Foto: Gustavo Mansur/Palácio PiratiniLeite afirmou que já houve retorno de diversas etapas de ensino sem intercorrências ou problemas sanitários - Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini
Leite afirmou que já houve retorno de diversas etapas de ensino sem intercorrências ou problemas sanitários - Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini
Você prefere ouvir essa matéria?

Após reunião entre o governo do Estado e o Ministério Público (MP) nesta terça-feira (24/11), o governador Eduardo Leite anunciou mudanças nas regras do Distanciamento Controlado para a educação pública e privada. Serão permitidas aulas presenciais em regiões classificadas com bandeiras vermelhas, desde que observados os protocolos sanitários. O decreto com a alteração deve ser publicado até quarta-feira (25/11). O objetivo da decisão é evitar prejuízos pedagógicos e psicológicos aos alunos.

As regras em vigor determinavam que as atividades presenciais nas escolas deveriam ser interrompidas caso a região em que estão localizadas ficasse por duas semanas consecutivas em bandeira vermelha. Passo Fundo é uma das regiões classificadas em bandeira vermelha que poderá, a partir do novo decreto, manter em funcionamento ou abrir escolas.

“Passados oito meses de atividades com níveis de restrição, todos aprendemos a lidar melhor com o vírus e identificamos o quanto é importante mantermos as escolas funcionando com rigorosos protocolos sanitários. Importante que todos entendam que saúde é muito mais que não contrair o vírus, é também desenvolver a capacidade cognitiva dos nossos alunos e ter escolas funcionando, porque são um importante instrumento do poder público junto às comunidades, para acompanhar questões de nutrição, desenvolvimento psicológico e cognitivo, e mesmo para acompanhar casos de denúncias de abuso sexual e violência doméstica, por isso, entendemos que as escolas não podem parar”, afirmou o governador.

Leite lembrou que entre os protocolos determinados para a educação estão a redução no número alunos por salas de aula, ambientes abertos e arejados, alternância de turmas, incremento de equipes de limpeza e equipamentos de proteção individual para alunos, professores e funcionários, entre outros, que visam garantir condições de segurança sanitária.

“Já tivemos retorno de diversas etapas de ensino nos últimos meses e não observamos intercorrências ou problemas sanitários onde houve o retorno, e por isso será possível manter as escolas abertas mesmo nas regiões que permaneçam em bandeira vermelha. A educação é prioridade, por isso tomamos essa decisão”, acrescentou o governador.

Gostou? Compartilhe