Segurança Pública inicia formação de 1,4 mil novos servidores

BM, Polícia Civil, IGP e Bombeiros darão início ao curso para convocados em cumprimento do cronograma apresentado pelo governo

Por
· 4 min de leitura
Aula inaugural da Policia Civil foi na Acadepol, onde ocorrerão a maior parte dos treinamentos (Foto: Grégori Bertó/Ascom SSP)Aula inaugural da Policia Civil foi na Acadepol, onde ocorrerão a maior parte dos treinamentos (Foto: Grégori Bertó/Ascom SSP)
Aula inaugural da Policia Civil foi na Acadepol, onde ocorrerão a maior parte dos treinamentos (Foto: Grégori Bertó/Ascom SSP)
Você prefere ouvir essa matéria?

A segurança pública do RS inicia mais uma etapa para dar continuidade à reposição programada de efetivos na Polícia Civil, na Brigada Militar (BM), no Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS) e no Instituto-Geral de Perícias (IGP). No total, 1.469 aprovados em concursos da área começam a partir desta quarta-feira (31/3) os cursos de formação para ingressar nas instituições vinculadas à Secretaria da Segurança Pública (SSP).

"A formação de novos operadores das forças de segurança é essencial para garantirmos os bons resultados no combate à criminalidade e a prestação de serviços à população. Além disso, reflete o compromisso assumido pelo nosso governo em priorizar a segurança pública e dá continuidade ao cronograma de chamamento que apresentamos em novembro de 2019, para assegurar o ingresso programado de servidores e reduzir o déficit de pessoal, mantendo a responsabilidade com a situação fiscal do Estado", afirmou o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior.

Para tornar possível a realização dos cursos mesmo no contexto da pandemia, todas as vinculadas da SSP elaboraram uma série de protocolos de segurança sanitária, prevendo, além do uso obrigatório de equipamentos de proteção individual (EPIs), uma sequência de outras medidas para prevenir o contágio e atuar em caso de eventuais contaminações.

Confira o planejamento traçado para cada uma das vinculadas da SSP:

Polícia Civil vai formar 30 delegados e 260 agentes

Na Polícia Civil, iniciam o curso de formação, última etapa do concurso público para a instituição, 30 candidatos a delegado e 260 concorrentes aos cargos de inspetor (130) e escrivão (130). A maior parte do currículo será desenvolvido de forma presencial, na Academia de Polícia (Acadepol), na capital, em razão da impossibilidade de adaptar uma série de disciplinas.

"Estamos totalmente comprometidos em assegurar a formação de qualidade desses profissionais e a preservação da saúde de todos", afirmou a diretora da Acadepol, delegada Elisangela eghelin.

Antes de iniciar as atividades, todos os alunos e instrutores farão os exames para detecção da Covid-19, a partir de testes doados à Polícia Civil pelo Instituto Cultural Floresta (ICF).

O curso para delegados tem 875 horas/aula e o de agentes, 830 horas/aula, ambos com duração de cerca de seis meses.

Reforço de quase 1 mil PMs entre praças e oficiais na BM

Na BM, o contingente em formação será de 842 novos soldados e 135 capitães. Dos futuros oficiais, são 65 que já eram programados para este mês no cronograma de chamamento e 70 cujo ingresso estava previsto para março do ano passado, o que não foi possível em razão de impasse judicial no andamento do concurso, sanado no início deste ano.

Os alunos serão distribuídos em quatro escolas e dois polos de ensino. Durante as atividades presenciais, será respeitado o limite de 20 alunos por sala, e todos – inclusive instrutores e coordenadores – farão uso obrigatório de máscaras, bem como medição de temperatura diária antes do início das aulas.

Ao se apresentarem para inclusão, todos os alunos-soldados receberam um folder com orientações e fizeram o teste para Covid-19, com 100% dos resultados negativos. Antes do início das aulas, todos serão novamente testados.

Para reduzir as chances de contaminação, parte da carga horária (24%), voltada a formação teórica, será ministrada na modalidade de ensino à distância (EaD). As aulas presenciais são as essencialmente voltadas para a atividade prática do policiamento ostensivo em suas diversas variáveis. O curso de soldados tem 1.610 horas/aula, mais 120 horas de estágio supervisionado, e leva entre seis e oito meses. Para capitães, a formação tem 2.425 horas/aula, mais 180 horas de estágio supervisionado operacional e administrativo, e duração estimada de um ano.

Bombeiros terão 100 novos soldados e 50 capitães

Também terá início nesta quarta-feira (31) a formação de novos servidores do Corpo de Bombeiros Militar. Serão 100 novos soldados e 50 capitães – 25 da previsão original para ingresso neste mês e a outra metade com formação inicial programada para o ano passado, mas que acabou atrasada em razão do impasse no concurso. Mantendo a tradição da corporação, na semana anterior ao início do curso, os alunos-soldados participaram de um mutirão para doação de sangue ao Hemocentro do Estado e aos bancos de sangue dos hospitais de Clínicas e Cristo Redentor, na capital.

O primeiro mês de curso, até o início de maio, será dedicada à realização de 12 disciplinas teóricas, ministradas integralmente na modalidade de ensino à distância em plataforma própria da corporação e por meio de videoconferências em todos os dias úteis do período. Para as aulas presenciais, cada turma terá no máximo 21 alunos, que farão entre duas e três horas/aula de 45 minutos cada por dia.

O curso de formação de soldados bombeiros tem 1.624 horas/aula, e dura cerca de sete meses, com estágio supervisionado iniciando no sexto mês. Para os capitães, a formação totaliza 2.700 horas/aula, a serem concluídas em cerca de um ano e quatro meses, com estágio supervisionado iniciando ao final de um ano de curso.

IGP ganhará reforço de 34 servidores

No Instituto-Geral de Perícias (IGP), terá início a formação de 34 novos servidores – 11 peritos criminais, seis peritos médicos-legistas e 17 técnicos em perícia. Como o cronograma previa o preenchimento de 38 vagas neste mês, mas parte dos convocados desistiu, um novo chamamento deve ser realizado nos próximos meses.

O curso de formação profissional tem 360 horas dividas em três módulos: básico, específico e prático. As aulas presenciais, num total de 16% do currículo, ocorrerão ao final do módulo básico (para manejo e segurança de armas de fogo) e no prático. Todo o restante (84%) será ministrado em formato EAD, com aulas síncronas e ao vivo, controle de presença, avaliações e interação com os professores por meio da plataforma Microsoft Teams.

Além de máscara e face shield, haverá utilização de macacão tyvec para atendimento em local de crime e diferentes tipos de luvas, manguito (tecido de cobertura do pulso até a até altura do bíceps), avental e botas no trabalho de necropsia. Para as aulas no DML, os alunos serão divididos em pequenos grupos.

NOVOS SERVIDORES EM FORMAÇÃO NA SSP

  • Polícia Civil: 30 delegados, 130 escrivães e 130 inspetores.
  • BM: 842 soldados e 135 capitães.
  • Bombeiros: 100 soldados e 50 capitães.
  • IGP: 11 peritos criminais, seis peritos médicos-legistas e 17 técnicos em perícia.
  • Total: 1.469 servidores
Gostou? Compartilhe