OPINIÃO

O drama dos hospitais

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Os hospitais de Passo Fundo já enfrentaram outros momentos difíceis, mas como neste ano, não há precedentes. Obrigados a destinar todos o esforço no combate ao coronavírus, viram suas receitas minguarem nos atendimentos particulares e de convênios. O São Vicente de Paulo amarga um déficit mensal de R$ 4 a R$ 5 milhões desde o início da pandemia. Mesmo com ajuda do município, que vai disponibilizar R$ 1 milhão para cada uma das instituições, campanhas da comunidade e recursos que vieram como doação de empresas, não são suficientes para cobrir o rombo. O superintendente do HSVP, Ilário De David, disse que será necessário buscar crédito junto aos bancos para fazer frente a alguns pagamentos que estão ficando para trás. O HSVP deu prioridade ao pagamento de salários e 13º, além de insumos e equipamentos necessários para atendimento. A situação é ainda mais dramática, porque o hospital foi obrigado a parar com o atendimento cirúrgico eletivo, atendendo a um pedido do governo do Estado, para se dedicar ao atendimento da Covid-19, cujos casos não param de crescer.


Cristiam no Republicanos

O Republicanos ganha reforço de filiados. Cristiam Thans deixou o Democratas para se filiar no PRB e assim garantir espaço do partido no primeiro escalão do prefeito eleito Pedro Almeida. O DEM ficará com três cargos: Patric Cavalcanti, na Secretaria de Serviços Gerais, Leandro Bussolotto, na Auditoria Geral do Município e Henrique Fonseca, na Secretaria de Captação. A filiação foi abonada pelo presidente do PRB, Josemar Mazzaro.


Mauro Sparta  

O médico Mauro Sparta, conhecido dos passo-fundenses por ter sido duas vezes vice-prefeito do município, vai comandar a Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, na gestão de Sebastião Mello. Sparta já passou pela Casa Civil do Palácio Piratini, foi secretário do Meio Ambiente do governo Rigotto e suplente de deputado estadual. Está residindo em Porto Alegre já há alguns anos e assume o cargo na Capital no momento mais agudo da pandemia do coronavírus. Ex-PSDB, hoje está no Democratas.  


Visita

O vice-presidente nacional do PSB, Beto Albuquerque, está em Passo Fundo. Veio ver os pais que moram aqui e ontem (quarta-feira) aproveitou para fazer uma visita ao prefeito Luciano Azevedo, que está se despedindo do cargo. Beto e Luciano já conversam sobre o futuro político. Nada certo, nada definido. O caminho indica Brasília para ambos. Se o espelho for os ex-prefeitos Fernando Machado Carrion, PP, e Airton Dipp, PDT, Luciano está no caminho certo. Ambos elegeram-se deputados federais.


Habilidade

Meia vitória, meia derrota. A definição foi feita pelo governador Eduardo Leite, depois de conseguir aprovar parcialmente a proposta que pretendia manter a majoração das alíquotas do ICMS. Conseguiu por um ano e dentro das condições impostas pela bancada do PT. O fato é que o governador foi hábil politicamente. Entendeu que não teria nada em 2021 e ganhou mais 12 meses para debater a reforma tributária. Majoração de ICMS é paliativo perto do grave problema do caixa do Estado. Sem uma saída de longo prazo, os próximos governos vão, literalmente, enxugar gelo.


Caged positivo

Pelo quarto mês consecutivo, Passo Fundo teve saldo positivo na geração de empregos. Entre demissões e admissões resultaram 884 vagas. De janeiro a novembro o saldo é de 82 vagas com carteira assinada. Se confirmar um bom dezembro, teremos, pelo quarto ano, também um saldo positivo no total de empregos criados. Um feito e tanto, em ano de pandemia. 

Gostou? Compartilhe