Acidente mata dois na Vila Fátima

Jovens estariam comemorando o aniversário de amigos e retornavam do bairro Cidade Nova no momento do acidente

Por
· 4 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Um acidente ocorrido por volta da 1h40 de sexta-feira (4) no cruzamento da Rua Fagundes dos Reis com a Rua Carijós na Vila Fátima deixou dois jovens mortos. Dionatan Fortes do Nascimento, de 20 anos e Patrick Santos Lima, de 19, morreram após colidirem a motocicleta Twister de cor vermelha e placas de Passo Fundo em que estavam contra um Gol também com placas de Passo Fundo.

A Brigada Militar foi acionada e realizou os primeiros procedimentos no local do acidente. O motorista do Gol, identificado como Kleiton de Moraes de 20 anos, foi socorrido pelo Samu e encaminhado ao Hospital São Vicente de Paulo e seu estado de saúde é considerado estável. A rua foi fechada pela Guarda Municipal de Trânsito e a Brigada Militar realizou o isolamento da área do acidente para que a equipe do IGP pudesse realizar a perícia. O Corpo de Bombeiros também prestou atendimento.

No local não havia a informação a respeito do sentido em que os veículos trafegavam no momento do acidente. O impacto destruiu a frente do Gol e também a motocicleta. Familiares das vítimas foram chegando ao local com o passar do tempo e reconhecendo as vítimas. Moradores das proximidades afirmaram não ter visto o acidente, mas ouviram um forte estrondo no momento da batida. Com impacto entre os veículos, o tênis de uma das vítimas foi parar sobre o telhado de uma residência em frente ao local do acidente.

Dentro do Gol os policiais encontraram três garrafas de vodka e dois litros de energético. A bebida foi apreendida, bem como um par de óculos escuros, telefone celular, fones de ouvido, e um molho de chaves . No Hospital São Vicente de Paulo, o condutor do Gol se submeteu ao teste sanguíneo de alcoolemia. Ele permanecia internado até o fechamento desta edição e o estado de saúde dele era estável.

Familiares e amigos lamentam a morte dos jovens

Os dois amigos foram velados juntos na capela mortuária do Cemitério da Vera Cruz. Amigos e familiares dos compareceram ao funeral. “Conhecia o Patrick a uns cinco ou seis anos. Ele estava sempre brincando, rindo, não tinha inimizades. É muito triste saber que ele não estará mais com a gente”, disse Lucas Tonial que acompanhou o velório.

A mãe de Dionatan Fortes, Clarines Fortes Nascimento, contou que o filho estava cheio de planos para o futuro. Há um mês ele havia saído do trabalho e nesta quinta teria recebido o fundo de garantia. O filho já havia arrumado outro emprego e começaria na próxima segunda, dia 07. Segundo a mãe, ele sempre foi trabalhador, aprendeu desde cedo, com seu pai, que deveria trabalhar para obter suas coisas. Com intuito de comprar um carro, ao qual já havia escolhido e negociado, começou a fazer a carteira de motorista. O filho ainda planejava construir uma casa sobre a garagem da casa dos pais, para ter sua privacidade. Emocionada, Clarinês, mãe de outros dois filhos, um de 21 e outro de 8, salienta que o filho estava feliz, em uma ótima fase de sua vida.

Antes da fatalidade, o jovem avisou que iria sair com seu irmão e alguns amigos, segundo a mãe, os irmãos haviam saído com uma moto e deixado ela em um posto, no centro da cidade, preferindo ir ao destino, bairro Cidade Nova, de carona em um carro. Ao retornar para buscar a motocicleta, Dionatan, que adora moto e, segundo ela, velocidade, preferiu voltar com o amigo, mas não chegou ao destino desejado. 

O irmão vinha logo atrás, com os outros amigos. Quando viu o irmão caído correu em sua direção, mas, ao vê-lo ainda se debatendo, retornou para pedir socorro. Quem deu a notícia aos pais, foi um amigo. O pai, que atendeu ao telefone, achou, primeiramente, que se tratava de uma brincadeira. Ao perceber que era verdade, agitou-se. Não conformados, os familiares foram até o local do acidente, para constatar o que já sabiam. O filho já estava morto.  A família, sem saber ainda como aconteceu, aguarda por respostas, e mais do que isso, por justiça.

Patrick havia viajado para conhecer a filha
Poucos dias antes do acidente, Patrick havia retornado de Florianópolis, onde fora conhecer a filha de quatro meses. Segundo Roberto da Silva Lima, pai do jovem, Patrick tinha planos de vender a motocicleta, adquirida a cerca de três meses, e ir embora para a capital paranaense para viver com a filha e a mãe dela. “Ele ficou cinco dias lá e estava cheio de planos. Queria construir uma vida com elas. Ele era bastante trabalhador tinha vários amigos. Vai ser difícil sem ele”, afirmou. O jovem tinha uma irmã de oito anos.

Roberto foi informado da morte do filho por um vizinho dos avós de Patrick que é policial militar. “Eu trabalho em Marau, tinha acabado de chegar em casa. Foi horrível. Mas eu quero que o responsável por isso pague pelo que fez. Quero justiça”, disse. Também segundo ele, os jovens estariam no bairro Cidade Nova comemorando o aniversário de amigos e estariam retornando ao Centro para que Dionatan recolhesse sua motocicleta, que estava em um posto de combustíveis.

O sepultamento de Patrick aconteceu às 18h de sexta-feira no cemitério do bairro Petrópolis. Dionatan será sepultado durante a manhã de sábado (5), no cemitério Santo Antônio. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Trânsito.

Notícia atualizada às 18h36 para acréscimo de informações

Gostou? Compartilhe