Furtos de veículos cresceram após Operação Desmanche, alerta delegado

Apesar dos números absolutos apontarem queda no delito até o mês de abril, Diogo Ferreira, titular da Draco, vê crescente após Operação: ?EURoeas peças saíram de cirulação?EUR?

Por
· 4 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

De janeiro a abril deste ano 175 veículos foram furtados ou roubados no município de Passo Fundo. O número equivale ao mesmo período do ano passado, quando 176 veículos foram alvos de um desses tipos de delito. A diferença, de acordo com dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio Grande do Sul (SSP/RS), é que em 2019 cresceram os roubos e diminuíram os furtos. 

 

Em números absolutos, 129 veículos foram furtados e 46 roubados neste ano, contra 151 furtados e 25 roubados em 2018. O dado representa uma queda de 14,56% nos furtos em relação ao ano passado, mas aumento de 84% nos roubos.
Apesar de não ter o balanço dos crimes referentes ao mês de maio, o delegado Diogo Ferreira, titular da Delegacia de Polícia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), diz que identificou um aumento nos furtos, sobretudo após a Operação Desmanche.


“Há dois meses para cá eles aumentaram. Os furtos foram incrementados, talvez porque muitas das peças saíram de circulação devido à interdição. Então estamos monitorando esses desmanches para, num momento oportuno, atacar”, explica.
A Operação Desmanche foi deflagrada no mês de maio em Passo Fundo em uma ação que visava coibir receptação, furtos e roubos de veículos com a interdição de locais não autorizados para o comércio de peças. No município dois desmanches, localizados nos bairros Nene Graeff e Petrópolis, foram interditados, outros dois também foram vistoriados, mas possuíam credencial para o serviço. As sucatas foram recolhidas pela empresa Guerdal, que possui contrato com o Departamento de Trânsito (Detran), para destruição das peças. 


Na época, Ferreira disse que, embora não exista um estudo, a estimativa é de que 80% dos veículos furtados tenham as peças retiradas e comercializadas, enquanto que veículos roubados são, geralmente, empregados para cometer outros crimes.


Crime de oportunidade
Por ser um crime silencioso, Ferreira destaca que o furto pode ocorrer em diversos espaços e cometidos para diversos fins.
Ele descarta que haja quadrilhas envolvidas. “É um crime de oportunidade. O que é que interessa em levar: a roda, pneu, bateria, som, extintor de incêndio, macaco, os vidros, pára-brisas... Então, por exemplo, eles veem um carro estacionado na Gare e, como não podem fazer ali, levam o carro, tiram as peças e abandonam em algum lugar a esmo”, detalha.


Com as peças em mãos, Ferreira diz que podem ser vendidas a preços ínfimos ou mesmo trocadas por quantias de drogas.
A orientação do delegado, embora as vítimas sempre sejam vítimas, é que se redobre à atenção ao deixar o carro em algum lugar. “Conferir se realmente o carro foi trancado e estacionar em locais iluminados e movimentados são medidas necessárias.”
Por isso ele aponta também que casos como esse acabam sendo comuns próximos à universidades e hospitais, quando a pressa faz com que o veículo seja deixado sem que todos os mecanismos de segurança tenham sido acionados.


Ele critica ainda a falta de iluminação pública na cidade, como um fator que vai além das vítimas, e que facilita com que o delito aconteça. “Pois a sombra incentiva o crime”, frisa. Quanto ao roubo a orientação é a mesma: “A Polícia deve ser acionada e a pessoa deve fugir ao identificar qualquer movimentação estranha que a levante suspeita.”

 

Quatro casos em dois dias
Na linha das estatísticas que apontam para 1,45 veículo furtado ou roubado no município de Passo Fundo nos quatro primeiros meses, entre segunda e terça-feira desta semana três carros foram furtados e um roubado, conforme boletins de ocorrências registrados na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA).


SEGUNDA-FEIRA
3 de maio
FURTO
Entre as 13h30 e 17h30 da tarde de segunda-feira (3), um homem, de 64 anos, foi ao dentista na Faculdade Especializada na área da Saúde do Rio Grande do Sul (Fasurgs), no bairro São Geraldo, onde deixou o veículo no estacionamento. Ao sair da consulta já não encontrou o carro, configurando furto. Dentro do veículo estavam os documentos da vítima.
Veículo: VW/GOL, branco, placas CAX 8858, Ronda Alta.


TERÇA-FEIRA
4 de maio
FURTO
A vítima, de 28 anos, estacionou o veículo Rua Luiza Isabel Ribeiro, Vila Nossa Senhora Aparecida, às 18h30 e, quando foi pegá-lo de volta, às 21h, já não estava no local. Dentro dele estavam duas caixas de ferramentas, uma mochila com roupas e carteira com documentos.
Veículo: VW/GOL branco, placas JLV 2727, Passo Fundo


ROUBO
Um jovem de 25 anos esperava seu pai sair do trabalho, estacionado na rua Rua Amelino Raphael Jacini, Parque Leão XII, às 19h. Estava há 15 minutos no local quando dois indivíduos se aproximaram gritando “perdeu”. A dupla pediu ao jovem que permanecesse no veículo, indo ao banco de trás. Mas ele abriu a porta e fugiu, enquanto os indivíduos partiram com o carro. A vítima não conseguiu ver se estavam armados, mas disse ao registro policial que um deles mantinha a mão na cintura como se estivesse armado. Um deles, de acordo com o jovem, era negro, magro, tinha a barba rala e estatura média-alta

Veículo: FORD/KA FLEX preto, placas: ERX 3591, Passo Fundo


FURTO
A vítima, de 32 anos, estava na academia, na rua Avaí, Vila Exposição por volta das 19h45, quando viu pelos vidros da sua caminhonete deixando a vaga. O homem ainda saiu correndo da academia atrás do veículo, mas não conseguiu impedir a ação. Aos policiais, o homem disse que acredita que outro veículo tenha ajudado no crime, já que havia um indivíduo dentro de outro carro que assistiu toda a ação e saiu do local após o crime acontecer.

Veículo: CAMINHONETE GM/S10 DELUXE, BRANCA, placas: JMD2423


Entenda a diferença
FURTO: Quando algo é subtraído de alguém sem emprego de violência e que, geralmente, não se sabe o autoria do crime.
ROUBO: Quando algo é subtraído de alguém com emprego de violência em que uma ou mais pessoa entra em confronto com a vítima.

Gostou? Compartilhe