Sargento aposentado da BM é preso acusado de liderar quadrilha de roubos

Grupo agia desde setembro na região e revendia produtos roubados

Por
· 2 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

Três pessoas foram presas na tarde desta sexta-feira (13) acusadas de integrarem uma organização criminosa responsável por diversos crimes na região. Segundo a investigação, feita pela Delegacia de Polícia Civil de Sarandi, a quadrilha era liderada por um sargento aposentado da Brigada Militar, de Passo Fundo, e atuava desde setembro no roubo de armas e carros. As mercadorias eram revendidas e o dinheiro distribuído entre o grupo. A estimativa é de que quadrilha tenha levantado até R$ 100 mil com os crimes.


As prisões ocorreram na sexta-feira nas cidades de Trindade do Sul, onde foi preso um jovem de 23 anos, e em Passo Fundo, onde foi localizado o sargento aposentado, de 48, e outro jovem, de 25 anos – em 2017 ele também foi preso acusado de praticar 11 roubos na região. Outro jovem, de 23 anos, já havia sido preso no final de outubro, em Sarandi. A partir dele é que a investigação chegou nos demais elementos.

 


De acordo com o delegado de Sarandi, Leandro Antunes, os crimes da quadrilha começaram em setembro deste ano. Até o momento a investigação atribuiu pelo menos três casos ao grupo.

 


Estratégia do grupo


O primeiro ocorreu em Rondinha, no início de setembro, quando foram roubadas armas de um atirador. No final do mesmo mês, a quadrilha roubou um GM/Astra, dinheiro e pertences de vítimas e, depois, um Toyota Corolla, em Liberato Salzano.


“Quando eles praticaram o roubo em Ronda Alta começamos a investigar em Sarandi, até porque conseguimos uma informação de que um deles era foragido e estava em Sarandi. No final de outubro conseguimos chegar até ele, um jovem de 23 anos, encaminhado ao presídio de Soledade. E foi a partir dele que se chegou nos outros nomes”, detalhou o delegado.


A Polícia Civil possuía imagens de alguns dos crimes, que ajudaram a investigação a localizar os demais integrantes. No dia em que o primeiro acusado foi preso, Antunes disse que a quadrilha tinha um latrocínio programado, mas que foi frustrado pela prisão do jovem.


Segundo o delegado, o sargento aposentado era quem coordenava as ações da quadrilha. O acusado preso em Trindade do Sul fazia o levantamento prévio dos alvos e o sargento definia a estratégia, tomando a frente das ações. “Por ele ser um policial aposentado acredito que era mais fácil os demais integrantes seguirem a estratégia dele. Então ele era quem liderava a maneira de abordar e chegar nas casas”, apontou Antunes.


Todos os objetos roubados e furtados eram revendidos pelo grupo, geralmente em Passo Fundo, e os valores distribuídos entre os integrantes. A estimativa, de acordo com o delegado, é que grupo tenha levantado de R$ 80 a R$ 100 mil com os crimes.

Agora a investigação irá buscar se a quadrilha é responsável por outros crimes.


Os quatro devem responder por roubo e formação de quadrilha, com pena máxima de 20 anos.

 

Os nomes dos acusados não foram informados. 

Gostou? Compartilhe