Feriadão marcado por perturbação do sossego

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Diversas ocorrências de perturbação do sossego foram registradas e atendidas pela Brigada Militar na madrugada de hoje (16), além de uma ocorrências de festas clandestinas. Uma delas ocorreu na rua Francisco Foresti, por volta das 2h, na Roselândia. Em apoio à fiscalização municipal e Guarda de Trânsito, a Brigada Militar averiguou denúncia de aglomeração e festa clandestina no referido endereço. Chegando no local, os órgãos de fiscalização constataram a aglomeração de cerca de 90 pessoas em uma festa clandestina. Diante da situação, foram tomadas as medidas cabíveis.

Outro atendimento foi por volta da 1h15 na rua Independência, no Centro. Informados pela Sala de Operações sobre um veículo com som muito alto, os policiais se deslocaram até o local e abordaram o homem responsável pelo veículo. Ele já tinha sido identificado pelas câmeras de videomonitoramento e na chegada dos policiais ainda permanecia com som alto. Após consulta ao sistema, os policiais verificaram que estava com o licenciamento do veículo vencido. O homem foi autuado. 

Também no bairro Dona Eliza uma festa, com cerca de 10 pessoas, perturbava o sossego da vizinhança. Por conta disso, por volta das 2h20 uma guarnição foi até a rua Lima e Silva, onde pessoas informaram que rotineiramente acontecem festas no local que perturbam a vizinhança.

Já na Vera Cruz, a ocorrência foi na avenida Rio Grande. Acionados pela Sala de Operações, os policiais se deslocaram até o local, onde o proprietário de um bar informou que estava dormindo com a esposa dentro do estabelecimento quando começou a ouvir alguém batendo insistentemente na porta. Ele se levantou e foi até o homem que estava batendo e pediu para que fosse embora. No entanto, o homem se negou a sair e continuou batendo. Com isso, a vítima saiu até a calçada e conteve a vítima, amarrando seus pés. Segundo o proprietário do bar, ele conhece o homem há vários anos e já registrou dois boletins de ocorrência contra ele por ameaça.


Gostou? Compartilhe