Fique atento aos sintomas do AVC

Os fatores de risco podem ser classificados como modificáveis e não modificáveis

Por
· 1 min de leitura
Enfermeiros e residentes orientaram familiares, pacientes e popularesEnfermeiros e residentes orientaram familiares, pacientes e populares
Enfermeiros e residentes orientaram familiares, pacientes e populares
Você prefere ouvir essa matéria?

O Acidente Vascular Cerebral, comumente conhecido como AVC ou derrame, é a segunda maior causa de morte no Brasil, perdendo somente para as doenças coronarianas. Uma em cada seis pessoas sofrerá um AVC. Diante disso, o dia 29 de outubro é o dia mundial do AVC e durante toda essa semana uma campanha foi mundialmente realizada com o objetivo de conscientizar, prevenir e identificar os sinais do AVC. Neste ano o tema abordado na campanha é “Reerguendo-se após o AVC”, focando nos desafios e triunfos enfrentados pelos sobreviventes e cuidadores.

 

Aderindo a campanha mundial, enfermeiros, residentes e acadêmicos de enfermagem do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo realizaram uma ação de conscientização quanto aos riscos, sinais e sintomas do AVC na sala de espera do Setor de Emergência e na portaria de visitantes. Na oportunidade estes profissionais abordaram as incidências de casos, a fim de sensibilizar a população quanto a necessidade de prevenção e da importância de reconhecer os sintomas. “Precisamos falar sobre o tema AVC, pois muitos dos pacientes não procuram ajuda especializada imediatamente após perceber um ou mais sintomas de AVC. É preciso ficar aos sintomas como: boca torta, perda de força em um ou nos dois lados do corpo, dificuldade na fala, dificuldade para deambular e perda súbita da visão ou dificuldade para enxergar e imediatamente procurar atendimento médico”, orientam os profissionais, evidenciando ainda que se os sintomas não ultrapassarem quatro horas e 30 minutos do início, é possível realizar um tratamento capaz de evitar ou minimizar sequelas.

 

Na oportunidade, os residentes da Residência Multiprofissional Integrada, programa realizado em parceria com Universidade de Passo Fundo e Prefeitura Municipal, realizaram testes com as pessoas, em um aplicativo de celular chamado “Riscometro”, que é capaz de investigar a relação dos fatores de riscos individuais para ocorrência de um AVC e suas consequências ao longo do tempo, através de perguntas. “O resultado é imediato e calcula em porcentagem as chances de uma pessoa sofrer um AVC em um período de tempo entre 5 e 10 anos”, destacam os residentes.

 

O Acidente Vascular Cerebral pode ser isquêmico ou hemorrágico, sendo o isquêmico o mais incidente. Independente de idade, sexo ou raça ele faz vítimas. Prevenir um AVC é mais fácil que tratá-lo! “Os fatores de risco podem ser classificados como modificáveis e não modificáveis, sendo que 90% dos causadores de um AVC são fatores modificáveis. Por isso, é importante manter os níveis de glicemia, colesterol e pressão arterial normais, realizar atividade física, manter uma alimentação saudável, evitar conflitos geradores de estresse, não fumar e não ingerir bebidas alcoólicas”.

Gostou? Compartilhe