Hospital de Clínicas é o primeiro no interior do estado a implantar sistema de inteligência artificial para gestão de farmácia clínica

Ferramenta NoHarm prioriza prescrições fora do padrão e identifica pacientes críticos

Por
· 2 min de leitura
O sistema foi implantado em novembro de 2020 e passa por constantes atualizações (Foto: Divulgação/HC)O sistema foi implantado em novembro de 2020 e passa por constantes atualizações (Foto: Divulgação/HC)
O sistema foi implantado em novembro de 2020 e passa por constantes atualizações (Foto: Divulgação/HC)
Você prefere ouvir essa matéria?

A segurança do paciente no ambiente hospitalar é uma premissa em todos os setores no Hospital de Clínicas (HC) de Passo Fundo. Investindo na qualificação da assistência, o Serviço de Farmácia do Hospital de Clínicas implantou o sistema de inteligência artificial NoHarm que utiliza algoritmos para auxiliar a farmácia clínica na tomada de decisão.  

“É um sistema que auxilia a farmácia na priorização das avaliações clínicas do paciente levando em consideração os potenciais riscos presentes na prescrição médica e a identificação de pacientes críticos.” explica a coordenadora do Serviço de Farmácia do Hospital de Clínicas, Mariane Roman.  

A farmacêutica explica como esta funcionalidade contribui para a segurança do paciente e qualidade na assistência hospitalar. “A meta 3 de segurança do paciente fala sobre a segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos e a NoHarm auxilia o farmacêutico a melhorar a segurança na primeira etapa que envolve medicamento e paciente, pois faz-se a avaliação da prescrição antes do medicamento ser dispensado pela farmácia, podendo evitar que algum potencial erro possa atingir o paciente. Além disso, um dos itens avaliados são os medicamentos de alta vigilância, os quais apresentam maior potencial de causar dano ao paciente caso algum erro aconteça em relação a esses medicamentos.” enfatiza Mariane.  

O algoritmo está integrado ao banco de dados do HC e identifica os perfis de prescrição, adaptando-se à realidade do hospital. “Após isso com a implantação da mesma, a ferramenta avalia todas as prescrições médicas e prioriza aquelas que apresentam maior risco, levando-se em consideração os alertas de prescrições fora do padrão, duplicidade terapêutica, alergias, interações medicamentosas de alto risco e contra indicadas, medicamentos de alta vigilância prescritos, antimicrobianos, dentre outras situações. Além disso, o sistema emite alertas que consideram a situação da função hepática e renal do paciente indicando se há medicamentos que podem ser feitos ajustes de posologia para esta situação clínica. Faz-se também o acompanhamento de exames laboratoriais dos pacientes com sinalização de resultados alterados.” complementa a coordenadora. 

A farmácia clínica é o serviço responsável pelo seguimento farmacoterapêutico de todos os pacientes, participando também da tomada de decisão juntamente com a equipe multiprofissional. “Um dos objetivos do serviço de farmácia que vem ao encontro com a política institucional é buscar ferramentas com tecnologia e inovação que otimizem o trabalho em busca de segurança e qualidade assistencial aos nossos pacientes. Dessa forma, a NoHarm nos trouxe a possibilidade de priorizar a avaliação farmacêutica baseado nos riscos do paciente e dos medicamentos por ele utilizados, fazendo com que o nosso tempo seja otimizado e os desfechos sempre sejam melhores.” pontua a coordenadora do Serviço de Farmácia do HC, Mariane Roman.  

O sistema foi implantado em novembro de 2020 e passa por constantes atualizações. “A partir de feedback entre o hospital e os desenvolvedores, a ferramenta é constantemente melhorada para cada dia mais auxiliar a farmácia clínica na otimização do tempo e tomada de decisão baseada em evidências. O Hospital de Clínicas é um dos 10 primeiros hospitais do estado a trabalhar com a ferramenta que foi desenvolvida primeiramente com hospitais da capital e o único no interior do estado a implantar esta inovação.” finaliza. 


Gostou? Compartilhe