Vigilância estadual reforça recomendações de prevenção a novas variantes do coronavírus

Toda pessoa com pelo menos dois sintomas gripais deve ser testada e isolada

Por
· 1 min de leitura
 O uso de máscaras, distanciamento social e a procura pela testagem seguem com recomendações para a população(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil) O uso de máscaras, distanciamento social e a procura pela testagem seguem com recomendações para a população(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O uso de máscaras, distanciamento social e a procura pela testagem seguem com recomendações para a população(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Você prefere ouvir essa matéria?

A confirmação da transmissão da variante delta do coronavírus no Rio Grande do Sul fez com que o Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), da Secretaria da Saúde, emitisse novo comunicado com orientações de reforço às medidas de prevenção. Os cuidados recomendados devem ser adotados independentemente do andamento da vacinação e são voltados para a população em geral, serviços de saúde e vigilâncias municipais.

Para a população, a orientação permanece, principalmente, no uso de máscaras, distanciamento social e a procura pela testagem ao apresentar sintomas. Toda pessoa com pelo menos dois sintomas gripais (febre, calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, distúrbios olfativos ou gustativos e diarreia) deve ser testada e isolada enquanto estiver sintomática.

A diretora do Cevs, Cynthia Molina Bastos, destaca os cuidados a serem seguidos. “Não minimizar os sintomas evita com que seja necessário ter novos fechamentos e restrições”, explica. As medidas independem da pessoa ser ou não vacinada. “As vacinas foram desenvolvidas para termos menos casos graves e óbitos, mas diminuir não é 100% e ainda há pessoas que, de acordo com sua condição, mesmo após a vacina, podem adoecer ou até não ter sintomas e transmitir o vírus”, completa.

Serviços de saúde e vigilâncias municipais

Caracterizada por ter uma maior transmissibilidade, a variante delta também requer um reforço das ações preventivas nos serviços de saúde, como a implementação de planos de contingência, observar o uso de máscaras por pacientes e visitantes, disponibilidade de equipamentos de proteção individual (EPIs) para trabalhadores e reforçar as medidas de higienização.

Aos municípios, o comunicado traz as recomendações de reforçar as ações de fiscalização dos protocolos e de identificação, monitoramento e isolamento de casos suspeitos e confirmados, assim como dos respectivos contactantes.

Com informações da Secom/RS

Gostou? Compartilhe