Diretor da Anvisa diz que mudança também depende do comportamento individual

Sem mudança de comportamento, segundo ele, mesmo com vacinas, a vitória não será alcançada

Por
· 1 min de leitura
Diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres (Fábio Rodrigues Pozzebon/Agência Brasil)Diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres (Fábio Rodrigues Pozzebon/Agência Brasil)
Diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres (Fábio Rodrigues Pozzebon/Agência Brasil)
Você prefere ouvir essa matéria?

O diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, disse que é preciso mudar o comportamento social em razão da pandemia do novo coronavírus. "O inimigo é um só. A nossa chance, a nossa melhor chance nesta guerra passa, obrigatoriamente, por uma mudança de comportamento social, sem a qual, mesmo com vacinas, a vitória não será alcançada", declarou.

"O momento é de conscientização, união e trabalho. O inimigo é um só. A nossa chance, a nossa melhor chance nesta guerra passa, obrigatoriamente, pela mudança de comportamento social, sem a qual, mesmo com vacinas, a vitória não será alcançada", declarou.

No início da apresentação, Gustavo Mendes Lima Santos, gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, ressaltou o aspecto histórico da decisão. “Este é um momento crítico. Este é um momento histórico. Esse tipo de autorização, a Anvisa nunca concedeu. Nunca vivemos uma situação como essa, de tanta exposição e de tanto senso de urgência e necessidade que enfrentamos neste momento”, falou ele. Segundo Lima Santos, os servidores da Anvisa “estão empenhados com dedicação no senso de urgência que o caso requer”. “Somos humanos, queremos que os produtos que sejam disponibilizados para o enfrentamento da pandemia sejam produtos eficazes, seguros e tenham qualidade”.

Gostou? Compartilhe