Enfermeira será a primeira a tomar vacina contra o Covid no Brasil

Mônica Calazans, 54 anos, é do grupo de risco e, mesmo assim, se cadastrou para trabalhar no Instituto Emílio Ribas, em maio do ano passado

Por
· 1 min de leitura
A enfermeira é viúva e mora com o filho, de 30 anos. Ainda cuida da mãe, que tem 72 anos e vive sozinha em outra casaA enfermeira é viúva e mora com o filho, de 30 anos. Ainda cuida da mãe, que tem 72 anos e vive sozinha em outra casa
A enfermeira é viúva e mora com o filho, de 30 anos. Ainda cuida da mãe, que tem 72 anos e vive sozinha em outra casa
Você prefere ouvir essa matéria?

A enfermeira Mônica Calazans, 54 anos, que trabalha na UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo será a primeira brasileira a receber uma dose de vacina contra o coronavirus, depois que a Anvisa aprovar o uso emergencial da Coronavac

A enfermeira pertence ao grupo de risco. Tem obesidade e é hipertensa e diabética. Mesmo assim, na primeira onda da doença, em maio do ano passado, ela se inscrever para as vagas de enfermagem abertas no regime de (Contrato por Tempo Determinado) e escolheu o Emílio Ribas para trabalhar, uma das referências no tratamento da doença.

Moradora de Itaquera, na zona leste da capital paulista, trabalha na UTI em dias alternados, em escalas de 12 horas. O setor tem 60 leitos exclusivos para pacientes de Covid-19.

A enfermeira trabalhou como auxiliar de enfermagem por 26 anos e decidiu fazer faculdade numa fase já madura. Se formou aos 47 anos. É viúva e mora com o filho, de 30 anos. Ainda cuida da mãe, que tem 72 anos e vive sozinha em outra casa, segundo publicou a colunista Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo. 

Gostou? Compartilhe