Centenas de alunos participam do Jornalendo em Passo Fundo

Ações realizadas na região Norte do Rio Grande do Sul fizeram parte da Pré-Jornadinha e abrangeram mais de 2,6 mil alunos. Passo Fundo recebeu a última atividade do Projeto nesta semana

Por
· 5 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?
O município de Passo Fundo recebeu a última Estação de Leitura do projeto Jornalendo nos dias 29 e 30 de agosto. As atividades foram realizadas no Centro de Eventos da Universidade de Passo Fundo (UPF) e contaram com a participação de centenas de alunos oriundos de 47 escolas de abrangência da 7ª Coordenadoria Regional de Educação (7ª CRE). O projeto foi desenvolvido durante o mês de agosto e envolveu outras três cidades (Carazinho, Cruz Alta e Erechim). Ao todo, o Jornalendo atingiu cerca de 2,6 mil alunos da região Norte do RS. O projeto é uma parceria entre as Jornadas Literárias de Passo Fundo com a Secretaria de Estado da Educação, com apoio do Sesi/RS.
Jornalendo tem como objetivo incentivar a formação de leitores por meio de diferentes atividades e da aquisição das obras dos autores que participarão da 8ª Jornadinha Nacional de Literatura, que acontece de 2 a 6 de outubro, em Passo Fundo/RS. As ações nos municípios foram voltadas para alunos do ensino fundamental das escolas estaduais. 
Em Passo Fundo, o Jornalendo também contou com as atividades oferecidas por meio da unidade móvel do Centro Cultural do Sesi, com centenas de livros, revistas, sala de leitura e contação de histórias. Além disso, foram realizadas atividades de recreação, com brincadeiras, oficinas e jogos. As escolas também aproveitaram o espaço para expor os trabalhos produzidos a partir das obras indicadas dos autores convidados e homenageados da Jornadinha.
O envolvimento dos professores da 7ª CRE com o Jornalendo começou ainda no início do ano quando foram convidados a participar do curso de formação de Agentes de Leitura, ministrado pelos coordenadores das Jornadas Literárias e que teve o objetivo de fortalecer as ações de leitura. De acordo com a professora do setor pedagógico da 7ª CRE, Vanusa Rossetto de Assis, muitos professores participaram e, ao longo dos meses, foram desenvolvendo não apenas as leituras das obras da Jornadinha, mas também os trabalhos que nesses dois dias estiveram expostos na Estação de Leitura, momento que, para ela, foi de colher os frutos desse incentivo. “Temos vários trabalhos expostos, trabalhos bonitos, e isso nos deixa gratificados, porque foi um processo no qual nós nos envolvemos, mas que tivemos uma contrapartida positiva”, comentou a professora, que vê essa atividade como um primeiro passo para o desenvolvimento de trabalho contínuo e cada vez mais abrangente. “Vejo isso como um primeiro momento em que nós entramos em contato mais efetivamente com o objetivo de incentivar a leitura. Sabemos que se tivermos um trabalho contínuo, sistemático, de incentivo e valorização, é possível que consigamos, no futuro, colher ainda mais frutos. Nós observamos essa nova proposta da Jornadinha e da Jornada como uma proposta mais democrática e estamos bem esperançosos de que esse seja o começo de um longo e produtivo trabalho”, destacou. 
A turma da aluna Aparecida Emanuelle, 10 anos, da Escola Estadual Maria Dolores Freitas Barros, de Passo Fundo, já leu 12 obras da Jornadinha. “Estamos desde março lendo os livros e aprendendo cada vez mais. Algumas das obras nos ensinam a valorizar os amigos e respeitar o diferente”, comenta a estudante.
O objetivo principal da Jornada é formar leitores. “O projeto é uma movimentação para a formação de leitores e ultrapassa o limite de Passo Fundo, estabelecendo-se em outras regiões. É importante observar essa movimentação quantitativamente significativa visando a um trabalho quantitativamente construído. Quanto maior a expansão do texto literário, mais eficiência na tarefa de formar leitores”, declarou um dos coordenadores da 16ª Jornada Nacional de Literatura, Miguel Rettenmaier.
O Jornalendo proporciona maior integração entre os alunos de Passo Fundo e região, aproximando os leitores das obras e dos autores da Jornadinha. “Essa parceria do Jornalendo é muito importante, pois promove a descentralização das atividades da Pré-Jornadinha e também é uma oportunidade de as escolas estaduais mostrarem suas ações e projetos de leitura”, ressaltou a também coordenadora da Jornada, Fabiane Verardi Burlamaque.
Leitura arrebatadora
Uma das escolas que já está colhendo frutos desse incentivo é a Escola Luiza Quittó Busnello, do município de Gentil. Há dois anos, a escola iniciou um projeto chamado Leitura arrebatadora, com o objetivo de incentivar e inspirar ainda mais a leitura. Para isso, a escola resolveu usar um velho conhecido das crianças e adolescentes: as redes sociais. “O Leitura Arrebatadora foi uma forma encontrada para utilizar as redes sociais nas quais os alunos são muito presentes e fazer disso parte do processo de leitura. O início do projeto funcionava da seguinte maneira: os alunos procuravam textos, de todos os tipos, liam, e, a partir deles, tinham que compartilhar em uma página no Facebook as leituras que os arrebataram naquele determinado dia”, contou a professora Abigail Santos da Conceição. O resultado, segundo a professora, foi alunos incentivados e motivados a ler ainda mais para ter algo novo a compartilhar na página. 
Neste ano, o projeto ganhou uma motivação ainda maior. “O projeto veio se desenvolvendo, se tornou algo contínuo e permanente na escola e, com a realização da Jornada, nós encontramos uma forma de unir as duas coisas, já que o centro da Jornada é a leitura, é a formação de leitores. Nós envolvemos os trabalhos realizados relacionados às atividades da Jornadinha com a atividade do Leitura arrebatadora e eles continuam sendo arrebatados pela leitura”, ressaltou. 
Para a professora Abigail, o projeto serviu para que se descobrissem grandes talentos dentro da sala de aula, impulsionados especialmente pela leitura. “A formação como leitor é essencial na formação de um indivíduo para que ele consiga interpretar a vida, o mundo ao seu redor, e, quando se fala de atividades relacionadas à Jornada ou ao evento Jornada em si, é um incentivo gigantesco para que eles participem mais. A gente percebe que eles estão ansiosos pelo dia da Jornada, para ver o que acontece aqui, para interagir com os autores. Acho que isso é um incentivo muito grande e eles estão sim muito motivados”, completou. 
Aquisição de 4,5 mil obras
Além das Estações de Leitura, o Jornalendo também prevê a aquisição de 4,5 mil obras dos autores que participarão da Jornadinha para as escolas participantes do projeto. Um investimento de quase R$ 150 mil. Conforme Rettenmaier, essa é a primeira vez na história das Jornadas Literárias que um convênio dessa magnitude com o governo do estado é firmado. 
Inscrições abertas 
A 16ª Jornada Nacional de Literatura e a 8ª Jornadinha Nacional de Literatura são promovidas pela Universidade de Passo Fundo (UPF) e pela Prefeitura de Passo Fundo. Os eventos contam com os patrocínios do Banrisul, da Corsan, da Ambev, da Triway, da TechDEC e da Companhia Zaffari & Bourbon, com o apoio cultural do Sesi e da BSBIOS, patrocínio promocional da Capes, Italac, Fapergs e Oniz, com a parceria cultural do Sesc, financiamento do Governo do Estado – Secretaria da Cultura – Pró-cultura RS LIC e realização do Ministério da Cultura.
As inscrições para a Jornada e para a Jornadinha estão abertas e são limitadas. Para a Jornada, o público pode se inscrever tanto para o evento completo quanto para apenas uma das noites. Os interessados devem se inscrever no portal www.upf.br/16jornada. A programação completa também está disponível no site da Jornada. Informações podem ser obtidas pelo e-mail jornada@upf.br ou pelo telefone (54) 3316-8368.
Gostou? Compartilhe