OPINIÃO

Fatos 07.11.2017

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Representação
Indiscutivelmente Passo Fundo não pode ficar sem representação no Congresso Nacional. Prova está na série de emendas que o ex-deputado federal Beto Albuquerque, PSB, conseguiu aprovar para inúmeros projetos do município. Emendas que estão sendo liberadas até hoje. Ontem, mais uma prova: dos R$ 8 milhões anunciados para a maior obra que o Hospital Municipal Cesar Santos já recebeu na sua história, R$ 3 milhões vieram de emenda de Beto. No momento sobram intenções, mas faltam candidatos. O quadro deve se desenrolar, mesmo, entre janeiro e fevereiro e tudo dependerá da decisão do prefeito Luciano Azevedo.

Obra
A prefeitura de Passo Fundo analisa o recurso de duas das três empresas que foram desabilitadas a participar da Avenida Brasil. Se um deles for aceito, poderemos ter a obra iniciada em pouco tempo, mas não em 2017. O rigor dos requisitos técnicos resultaram no lançamento de dois editais, prestes a sair o terceiro.

Animados
O vereador Alex Necker (PCdoB) comemorou o anunciou feito pelo partido de lançar Manuela D´Ávila como pré-candidata à Presidência da República. "O anuncio representa a demonstração clara e concreta do “projeto de desenvolvimento econômico e social que o partido tem para o Brasil e que a decisão deixou a militância e parte do campo da esquerda animada e fortalecida, porque oxigena o debate político que precisa ser feito”, disse.

Comércio
Pelo menos 250 lojas fecharam nos últimos anos, em Passo Fundo, por conta da crise. Isso representa a demissão de 500 a 600 trabalhadores. O dado revelado pela presidente do Sindilojas, no programa Sem Segredo da Rádio Uirapuru, no último sábado, abre uma outra informação relacionada a geração de empregos temporários para o fim de ano. Passo Fundo não vai seguir a tendência nacional de contratações, como vem se mostrando. O número de novas vagas será tímido.

Gostou? Compartilhe