OPINIÃO

Fatos 21.11.2017

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Assediado 
A colunista Rosane de Oliveira do Jornal Zero Hora, publicou na semana passada, que o Reitor da UPF, José Carlos Carles de Souza, foi convidado pessoalmente pela Senadora Ana Amélia Lemos a ingressar no PP. Foi durante recente evento realizado em Lagoa Vermelha. Como presidente do Comung e também como reitor da UPF, José Carlos, tem cumprido uma agenda intensa em todo o Estado e os encontros com políticos são inevitáveis. Aliado a isso, sua história como gestor e a capacidade de mobilização cativam os partidos que estão sedentos por novos nomes na política. Mas, não se animem, o foco do professor José Carlos é encerrar a gestão à frente da reitoria. O mandato vai até a metade do próximo ano. 

Confirmado
O ex-vereador Valdair Gomes de Almeida foi seduzido pelo PR. Não é mais presidente do PSDB local e já se coloca como pré-candidato a deputado estadual. A filiação foi em tempo recorde. Ele conversou com Cherini na sexta-feira, conforme a coluna antecipou no fim de semana, e ontem já estava filiado ao novo partido. Cherini monta sua estratégia para se reeleger a federal e quer fazer o máximo de dobradinhas com candidatos locais no Estado. Vai testar o potencial longe do PDT. 

Financiamento
O PSB ingressou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) no STF para evitar que candidatos mais ricos tenham vantagens sobre os adversários com menos recursos durante a campanha eleitoral. Pelas regras vigentes, o candidato poderá financiar até 100% da própria campanha, dentro do limite estipulado para cada cargo. No caso do presidente da República esse valor é de R$ 70 milhões, e no de governador de R$ 21 milhões nos estados com mais de 20 milhões de eleitores. Segundo o PSB, quanto mais dinheiro um candidato tem mais ele investe na própria campanha e, como consequência, mais chances terá de vencer a disputa eleitoral. O PSB pede liminar para a suspensão do limite atual de gastos e a fixação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de novos limites. 

Samu
Além de ter que deixar o espaço junto ao Hospital Municipal, o Samu de Passo Fundo, continua a enfrentar problemas com a falta de funcionários. Edital que está sendo publicado hoje chama para contratação um motorista.  Até que tudo se resolva, as duas equipes que restam fazem o que podem para dar conta do serviço. Em alguns casos, deixam de atender por absoluta inviabilidade.  O novo local para abrigar o serviço ainda não está definido. O prazo para deixar o espaço junto ao HBCS encerra em dezembro. 

Gostou? Compartilhe