Segundo caso de gripe confirmado no município

Mais de 75 mil doses foram aplicadas e restam poucas vacinas da influenza

Por
· 1 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

A Coordenadoria de Vigilância em Saúde confir­mou o segundo caso de gripe H1N1 em Passo Fundo. A paciente é uma bebê, de 6 meses de idade, que não havia recebido a vacina. Ela já teve alta hospitalar e segue bem. O primeiro caso foi confirmado ainda no dia 16 de maio, também em uma criança, de um ano de idade e que não havia sido vacinada. No ano pas­sado, quatro casos de Influenza A H1N1 tiveram um diagnóstico positivo no município. Desse total, três óbitos motivados pela doença foram de moradores de Passo Fundo.

 

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Passo Fundo informou na sexta-feira (7) que as vacinas da influenza estão terminando. No município, até às 16h de ontem, apenas seis unidades ainda continham a vacina - CAIS Boqueirão, CAIS Hípica, Central De Vacinas - para crianças e gestantes, UBS Adirbal Corralo, ESF Zachia, e ESF Jerônimo Coelho. O total de doses aplicadas em todo o município já chega a 75.607. Com foco no público prioritário, a campanha influenza 2019 foi aberta para população em geral conforme diretrizes do Ministério da Saúde e Estado.

 

A secretária de Saúde, Carla Crivellaro Gonçalves, afirma que a liberação das vacinas não significa que terão doses para todos. "As doses utilizadas para população em geral eram apenas o que veio para o grupo prioritário e que as pessoas não fizeram, por isso, infelizmente, não temos doses para toda popu­lação", explica. Terminando as doses nas unidades, a probabilidade é que não haverá reposição por par­te do governo. Crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias) e gestantes que ainda não fizeram a vacina devem buscar imediata­mente a imunização na unidade mais próxima.

 

Grupo prioritário

A parcial da vacinação dos grupos que formam o grupo prioritário está em: crianças - 77,09%; gestan­tes - 70,79%; puérperas - 80,56%; idosos - 106,45%; trabalhadores da saúde - 81,34%; professores -97,68% e grupos com comorbidades - 10.626 doses aplicadas. Para o grupo prioritário foram 58.040 do­ses e uma cobertura de 82,95%.

Gostou? Compartilhe