Centro Pop: auxílio na construção da cidadania

O serviço foi implantado em outubro de 2014 visando auxiliar a população em situação de rua

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Para algumas pessoas viver na rua pode ser uma alternativa temporária para se desvencilhar de situações desconfortáveis com a família. Mas, na maioria desses casos, fazer o caminho inverso, de voltar para casa, nem sempre é possível. Com este objetivo, o Centro Pop – Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua – da Prefeitura de Passo Fundo desenvolve uma ação exatamente com o intuito de auxiliar essas pessoas a conseguirem a reinserção na sociedade e no mercado de trabalho.

O serviço foi implantado em outubro de 2014, visando aproximar a população em situação de rua e com vulnerabilidades sociais dos serviços oferecidos pela política de assistência social e também de outras áreas, como educação e habitação, além do acompanhamento técnico com o objetivo de resgatar os vínculos familiares e a reinserção social. “O serviço auxilia na construção da cidadania de várias formas. A primeira delas é respeitando o usuário dentro do contexto em que ele encontra-se e garantindo que ele realize suas escolhas, além de acionar os direitos inerentes, ofertando os serviços disponíveis na rede, para que, dentro da sua especificidade, possa buscar e resgatar seus vínculos e sua cidadania, possibilitando a sua valorização, e autossuficiência”, explica a coordenadora de Proteção Social Especial e secretária adjunta de Cidadania e Assistência Social, Elenir Chapuis.

No mês de maio, por exemplo, foram realizados 334 atendimentos técnicos e disponibilizadas 21 passagens de ônibus para pessoas migrantes. Também foram realizadas seis internações na rede de saúde para tratamento de dependência de álcool e drogas e duas reinserções familiares. “O município é um dos poucos do Rio Grande do Sul a implantar o Centro Pop com o objetivo de atender essa população, que encontra-se fragilizada e em situação de rua”, salienta Elenir.

Atendimento integrado
No serviço o usuário tem disponível café da manhã, lanche à tarde, banho, pode também lavar suas roupas e permanecer durante o dia, além de atendimento técnico e oficina de música. O almoço e janta são disponibilizados na Casa de Passagem. “O que dificulta a saída das ruas é o uso de drogas e álcool, a cultura de rua, e o acesso fácil a alimentos, roupas, colchões, na maioria das vezes fornecido pela população, que tem a intenção de auxiliar, porém acaba cristalizando a permanência da pessoa na rua”, comenta.

Mas o atendimento do Centro Pop procura ir além. Ao acessar o Centro, inicia-se um trabalho intenso, principalmente através da vinculação e a confiança que o usuário começa a exercer com a equipe, permitindo as intervenções e fortalecendo gradativamente para avançar no resgate de sua cidadania. Conforme Elenir, não basta retirar o cidadão do olhar da sociedade, “para que não seja visto e desta forma não exista. Pelo contrário, mesmo quando não se visualiza mais o usuário, o nosso trabalho continua, com as intervenções necessárias e muitas vezes longas e difíceis, buscando reorganizar anos de violações de direitos e da cultura da rua”, destaca.

De acordo com a secretária adjunta, um dos objetivos é oferecer um ambiente acolhedor, tanto físico quanto humano, onde “minimamente possamos atender necessidades básicas, mas também sinalizar um futuro em que o próprio usuário venha refazer e seu projeto de vida. Trabalhamos ainda conjuntamente com a Casa de Passagem Madre Tereza de Calcutá e o Serviço Especializado de Abordagem Social, sendo que o público mencionado disponibiliza de três serviços  concomitantes que podem ser acessados em seu benefício. Além disso, o Centro Pop, funciona como um braço do Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS, porém com essa especificidade, de atender esse público-alvo. Para além disso, é integrado a todo o trabalho socioassistencial”, salienta Elenir.

Gostou? Compartilhe