Estudantes da Lucille Fragoso devem retornar às aulas no antigo prédio do SENAI

Três meses após interdição, 512 educandos devem ser realocados para a continuidade do ano letivo

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Os cerca de 512 alunos matriculados na Escola Estadual de Ensino Médio Lucille Fragoso de Albuquerque deverão ser realocados, provisoriamente, na área do antigo Senai, a partir da próxima semana. O espaço, cedido pela Prefeitura Municipal de Passo Fundo ainda no dia 28 de maio em uma reunião entre o prefeito Luciano Azevedo e o secretário estadual de Educação, Faisal Karam, será submetido à quarta audiência para apresentação do Plano de Prevenção contra Incêndio (PPCI) na manhã desta quinta-feira (15).

A aprovação desse laudo foi uma das exigências impostas pela adminstração municipal ao governo do estado para a disponibilização das cinco salas de aula e setor adminstrativo que, segundo o coordenador da 7ª Coordenadoria Regional de Educação (7ªCRE), Elton Luiz de Marchi, funcionará para abrigar as turmas de ensino fundamental e médio. “Os estudantes ocuparão esse espaço e o da Escola João de Césaro, que é próxima, para as aulas. A modalidade de rodízio deverá ser suspensa”, afirmou. Desde o dia 14 de maio, uma semana após o educandário ser interditado pela Corporação de Bombeiros depois que houve o registro da saída de centelhas de fogo na fiação elétrica do Bloco 1, os educandos do colégio Lucille compartilham o ambiente da escola profissionalizante em uma retomada parcial do ano letivo.

Há dois anos, o ambiente escolar interditado estava sendo utilizado por alunos e professores sem a possibilidade de manipular equipamentos eletrônicos, como projetores e computadores, pelo risco decorrente dos danos na rede de eletricidade. A direção aguarda a liberação de um recurso estadual estipulado em R$ 178 mil para complementar a outra parte da verba já destinada, de R$ 150 mil. O valor total para os reparos na fiação elétrica do educandário está orçado em R$ 328 mil. “O empenho já foi realizado. Estamos esperando que o valor seja depositado na conta da escola para iniciar as obras”, assegura de Marchi.

O mesmo problema, mas em outra escola

Após a Escola Estadual de Ensino Médio Lucille Fragoso de Albuquerque suspender, durante uma semana, as aulas por apresentar problemas na fiação elétrica, no início do mês de maio, e de a Escola Estadual de Ensino Médio Maria Dolores Freitas Barros inviabilizar, por questão de segurança, o estudo dos alunos em duas salas depois que um pinheiro despencou no telhado do educandário, a Escola Estadual de Ensino Médio Mário Quintana interrompeu o ano letivo também em maio, porém no dia 29, devido à acentuação das falhas no sistema elétrico do colégio. Em menos de dois meses, três escolas estaduais, em Passo Fundo, suspenderam as aulas devido ao comprometimento estrutural.

Com quatro pavilhões reformados, a escola Mário Quintana segue com os portões trancados por determinação da 7ª Coordenadoria Regional de Obras Públicas (7ªCROP), em laudo emitido na última semana que reiterava a necessidade de reparos e sequência na intedição. Segundo o coordenador da 7ª CRE, Elton de Marchi, um contralaudo foi enviado pela secretaria aos engenheiros eletricistas, em Porto Alegre, na segunda-feira (12), solicitando a liberação dos espaços considerados aptos a abrigar os estudantes. “Eles estão barrando na parte burocrática. Eu acho que foi um pouco de exagero por parte da CROP porque já temos salas de aulas reformadas e prontas para a volta das atividades escolares”, pontua. “Mais de 500 crianças estão sem aula. Nós, como coordenadoria, temos que cuidar das crianças. No ano passado, quase metade do dinheiro que veio para a educação do estado se perdeu por falta de projeto”, desabafou.

Trabalhando em duas vias, o coordenador afirmou que, caso o documento seja novamente barrado pelo órgão estadual de fiscalização, a coordenadoria deverá encaminhar uma licitação de transporte escolar para que os cerca de 560 estudantes, matriculados nos três turnos letivos, sejam direcionados à Escola Estadual de Ensino Fundamental Wolmar Salton (CIEP), no bairro Bom Jesus.

Gostou? Compartilhe