OPINIÃO

Fatos 17.10.2019

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Giro na economia de Tapejara

Uma ideia criativa para fazer o dinheiro circular na própria comunidade. A Associação Comercial e Industrial de Tapejara lançou na terça-feira à noite uma família de cartões que movimentar e beneficiar a economia local. São três cartões: Acisat Útil Card, Acisat Útil Prêmio e Acisat Útil Alimentação. São ferramentas para auxiliar gestores e a manter boa parte de recursos financeiros pagos por empresários de Tapejara circulando no próprio município.  Os cartões Acisat útil foram desenvolvidos por pessoas da comunidade, serão utilizados por tapejarenses e aceitos nas empresas locais. Mais de 30 aderiram ao projeto da Acisat. Eles servem para premiar colaboradores que se destacam, para antecipar parte do salário de quem precisa e para garantir a alimentação da família de trabalhadores, ao mesmo tempo que auxiliam o empresário a oferecer benefícios à seus colaboradores atendendo sempre as exigências da lei. Para o presidente da Acisat, Cristiano da Silva, a novidade apresentada é um momento histórico para a comunidade principalmente para as empresas associadas já que os cartões colocarão a entidade em um novo patamar.

Como funcionam

O ACISAT Útil Card é um cartão para gestão de adiantamento de salário.

ACISAT Útil Alimentação substituí o vale-alimentação e atende a modalidade do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT).

 ACISAT Útil Prêmio é destinado a premiação dos colaboradores por empresas que praticam esse tipo de benefício.

Município X Creci

A Justiça negou provimento os agravos de instrumento ao município de Passo Fundo e ao Creci na ação de disputa da área do Bairro Petrópolis. Foi mantida a decisão de que o município não pode retomar a área e o Creci não pode fazer nada no local. O imóvel foi concedido ao Conselho em 2012, por meio da Lei Municipal para construção e utilização de uma sede da Delegacia Regional, mas a edificação nunca foi feita. O prazo para a obra é de 10 anos. Apesar do prazo ainda não ter terminado, em 2017, cinco anos após a concessão e alegando inércia do Conselho em utilizar a área, a Câmara de Vereadores aprovou outra lei: nº 5.265/2017, que revogava a lei anterior e devolvia o imóvel à Prefeitura.

Até 2022

Alegando inconstitucionalidade em revogar a lei de 2012, o CRECI ingressou com ação judicial. Em outubro daquele ano, a Justiça determinou, em liminar, que o município não poderia aplicar a lei de 2017 e retomar a área concedida. Além da ação, a discussão envolvendo área é objeto de outros dois processos que correm na Justiça Federal de Passo Fundo. Em abril do ano passado, a Prefeitura ingressou com pedido de retomada da área, ganhando a liminar, que mais tarde foi cassada em recurso pelo Creci. O impasse gerou dois agravos de instrumentos não foram providos pela Justiça. Imbróglio que deve se estender até o prazo de uso da área de esgotar, em 2022. Se o Creci não utilizar a mesma, ela retorna ao município.

A área

A área de 700 metros quadrados fica ao lado do Cais Petrópolis. A época, em 2012, contrariando apelo popular, o então prefeito Airton Dipp, com aprovação da Câmara de Vereadores, doou o local para o Creci construir sua sede. A Associação de Moradores da Petrópolis queria utilizar o espaço para ampliar o Cais.

PSL convida Candeia

O PSL de Passo Fundo teve homologada pelo TSE a chapa que vai conduzir a executiva provisória do partido. Francisco Emílio Lupatini vai presidir o partido, sendo vice Balzareti Jiuliani de Almeida e secretário geral Rubens Blum. O partido formalizou esta semana convite ao procurador do estado Rodinei Candeia para que se filie ao PSL. Partido, segundo seus dirigentes que “representa a direita de Passo Fundo, todos da linha Bolsonariana, ativistas e, portanto, brasileiros, patriotas, defensores dos princípios norteadores do conservadorismo social, dos valores familiares, da democracia e da dignidade humana”.

Articulação e bocha

Não dá para perder tempo. O pré-candidato a prefeito Márcio Patussi, que aparece de costas na foto, o empresário Carlos Armando Salton, o ex-vereador Roque Letti, e o ex-dirigente partidário Paulo Roberto Padilha tiveram uma longa conversa na noite de terça-feira em uma cancha de bocha no Bairro Vera Cruz. Articulação política em andamento com vistas a 2020. A foto foi enviada à colunista por um observador discreto da política local. ( a foto você confere na edição impressa de ON)

Gastos com diárias

Os deputados estaduais Gilberto Capoani, MDB, e Mateus Wesp, PSDB, estão na lista dos parlamentares que mais gastaram diárias até este mês. O dado consta do portal transparência da Assembleia Legislativa e a lista completa pode ser conferida no link https://bit.ly/33xJs7y. A Assembleia Legislativa consumiu mais de R$ 600 mil em diárias de janeiro até o momento. Capoani é o segundo parlamentar da lista geral que mais gastou o recurso, R$ 33,1 mil. Perdendo apenas para o deputado Pedro Ozório Pereira que gastou R$ 35,7 mil até o momento. O deputado Wesp soma R$ R$ 19,6. Em apenas uma viagem feita para a Hungria, agora em setembro, foram consumidos quase R$ 9 mil. O parlamentar participou de um evento relacionado à Frente Parlamentar de Promoção de Políticas Públicas Orientadas à Família, presidida por ela na AL.

 

Gostou? Compartilhe