Dia D imunizou 150 crianças em Passo Fundo

Público-alvo da vacinação foram crianças de seis meses a quatro anos. A Campanha segue até sexta-feira (25)

Por
· 2 min de leitura
Segunda etapa da Campanha, voltada ao público jovem, terá dia D em 30 de novembro Crédito: Segunda etapa da Campanha, voltada ao público jovem, terá dia D em 30 de novembro Crédito:
Segunda etapa da Campanha, voltada ao público jovem, terá dia D em 30 de novembro Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

A primeira fase da Campanha nacional de vacinação contra o sarampo teve seu Dia D no sábado (19). Nesta fase, 150 crianças, entre os seis meses a quatro anos de idade foram imunizadas, nos 26 postos de saúde abertos no município.

 

A enfermeira do Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Passo Fundo, Raquel da Silva Carneiro, declara que o movimento de imunização no geral foi satisfatório. “É fundamental a vacinação para interromper a circulação do vírus do sarampo e proteger os grupos mais acometidos pela doença no país”, avalia.

 

A campanha estimula a imunização contra o vírus do sarampo, em virtude dos crescentes casos confirmados da doença no país, nos últimos meses. Conforme último boletim epidemiológico, divulgado na quinta-feira (17), no Rio Grande do Sul foram confirmados 17 casos de sarampo, distribuídos entre os municípios de Porto Alegre - nove casos, Cachoeirinha - dois casos, Gravataí, Ijuí e Dois Irmãos - um caso cada. Em 74% destes casos, os infectados não haviam se vacinado, ou estavam com a imunização incompleta.

 

O sarampo é uma doença infecciosa grave, causado por um vírus. A transmissão ocorre por via aérea, em especial quando a pessoa infectada tosse, fala ou respira próximo de outras pessoas. Os sintomas são febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, coriza (nariz escorrendo ou entupido) e mal-estar intenso. Quando o quadro completa de três a cinco dias, podem aparecer manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas do paciente.


Durante o dia, também várias pessoas foram imunizadas e atualizadas contra outras doenças. Foram ministradas 80 doses de vacina contra a varicela, 150 doses de vacina contra a febre amarela, 100 doses de imunização da poliomielite e 25 doses contra difteria, tétano e coqueluche.

 

Neste ano, em função da situação epidemiológica do Brasil, o Ministério da Saúde alterou o esquema vacinal de bebês, com a recomendação da chamada Dose Zero (dose extra) para crianças entre seis meses e 1 ano de idade. A enfermeira reforça a baixa procura pelos pais de crianças de seis meses a um ano de idade para a realização da Dose Zero.”Temos a meta de imunizar 2.883 crianças nesta faixa etária, mas até o momento atingimos a faixa de 700 crianças, o que nos causa preocupação. É importante que o pais se conscientizem da extrema importância em imunizar seus filhos”, ressalta Raquel.

 

Em virtude disso, a meta para o grupo de crianças é de 95% da cobertura vacinal. “Tem acontecido há alguns anos essa baixa cada vez maior na cobertura vacinal. Por isso, mais pessoas acabam ficando suscetíveis a ter a doença, porque não estão imunizadas. Até o momento, na nossa região, não temos casos suspeitos. Mas estamos focando e trabalhando nessa campanha para que as pessoas busquem os locais de vacinação para realizar a vacina nas crianças”, pontua Carneiro. A expectativa é avaliar a situação vacinal de 11 mil crianças em Passo Fundo.

Gostou? Compartilhe