OPINIÃO

Teclando

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Coincidentes estranhezas

Dizem que desgraça chama desgraça. Ou que notícia ruim não vem a cavalo. Desastres, fúrias e desgraças ao que parece andam juntos. Surgem ao mesmo tempo ou num mesmo lugar. Estranhezas que a crença popular atribui às coincidências da vida. Recentemente, tivemos uma sequência de tragédias no Brasil. Brumadinho, queimadas e óleo. Nos últimos anos a raiva paira na atmosfera. Alvejante na memória, desinformação sistemática e as pessoas ficaram inquietas e rancorosas. Os brasileiros estão divididos em duas correntes e, na prática, já vivemos um bipartidarismo. Em comparativo geográfico, acabou a tranquilidade na Bolívia, Peru, Venezuela e, agora, no Chile.

Coincidentemente, há uma tensão simultânea na América Latina. Ora, seria apenas casualidade? Porém, essas coincidências geográficas também podem ser analisadas através das coincidências históricas. A começar pelas ditaduras sul-americanas. Na Venezuela foram sete golpes dos últimos 50 anos ao presente. Paraguai (1954-1989), Bolívia (1964-1986), Brasil (1964-1985), Argentina (1966-1973 e 1976-1986), Peru (1968-1980) e Chile (1973-1990). Enfim, coincidentemente, as ditaduras foram praticamente simultâneas nas décadas de 1960 a 1980. Problemas aqui, problemas acolá. Coincidências de ontem, coincidências de hoje e coincidências de amanhã. É muita coincidência.

A culpa é do cachorro
De dia ou à noite, um cãozinho branco leva o seu humano de estimação para passear na Avenida Brasil. O cachorrinho adora os canteiros da quadra entre a Bento e a General Netto, onde faz cocô na maior tranquilidade. O seu humano, porém, pisa na grama e não tira os olhos do celular. O pior é que ele sequer carrega um saquinho plástico para recolher os dejetos do seu amiguinho que ficam sobre a grama. Já está na hora desse cãozinho ser um pouco mais rígido com seu displicente ser humano. Poderia ensinar-lhe sobre convivência social e passar algumas normas de conduta. Ou, de forma mais didática, o simpático cachorrinho deve explicar ao humano que muitas crianças brincam naquela grama. Ah, esse cãozinho vem sendo muito frouxo na educação do seu humano que, assim, tornou-se vergonhosamente um mal-educado. 

Nelson Ribas
Na próxima segunda-feira, 04 de novembro, acontece o lançamento do livro “Contos Contemporâneos 2019” na 65ª Feira do Livro de Porto Alegre. A obra reúne autores gaúches, dentre eles o amigo Nelson Júlio Martini Ribas. Às 16 horas, haverá uma oficina de contos contemporâneos, quando Alcy Cheuiche e Juremir Machado da Silva conversarão com os autores. A atividade será no 1º andar do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, Rua dos Andradas 1223. A sessão de autógrafos será às 17h30. Na Barranca ou na metrópole, vira e mexe e o Nelson está sempre acoerando as letrinhas. Agradeço pelo convite. Um abraço. 

Eventos
Os eventos fazem parte do perfil de Passo Fundo. Agora estamos em tempos de uma nova Construmóveis no Bourbon. Digo nova porque foi reestruturada, disponibiliza palestras e está rejuvenescida. Os expositores abandonaram aquele surrado molde estandardizado. O visual está em nova versão, segue tendências tecnológicas e propicia um clima de futuridade. O presidente do Sinduscon, Leonardo Gehlen, e o coordenador da mostra, Fernando Langaro, estão entusiasmados com o público e o surpreendente volume de vendas. Esta é uma edição repaginada da Construmóveis. E histórica, pois encerra um ciclo de eventos no Bourbon.

Trilha sonora
As músicas da norte-americana Suzanne Vega rodam pelo mundo e estão nas melhores programações de rádio adult contemporary. Aqui em Tom’s Diner
Use o link 
https://bit.ly/1pvhyCR 

Gostou? Compartilhe